A

alergia alimentar ocorre quando o organismo do animal não reconhece uma determinada molécula proteica desencadeando reações inflamatórias. O animal pode apresentar sintomas como pele avermelhada, feridas e coceira. Pode apresentar lambedura excessiva das patas, inflamação das orelhas(otite) e alguns sinais gastrointestinais (menos comumente) como fezes amolecidas, aumento na evacuação e vômitos.

 

Muitos tutores me perguntam se o que está causando alergia no animal são os petiscos que ele ganha (biscoitos,  bifinhos, palitos). Acontece que o animal não faz alergia a um produto inteiro e sim a um componente do alimento.  Ou seja, se ele for alérgico a uma proteína do frango e essa proteína também estiver no petisco, ele vai fazer alergia também ao petisco. O mais provável é que o animal faça alergia ao alimento que ele come no dia-a-dia e não a um alimento que ele tenha comido apenas vez ou outra na vida. Mas é importante que ao se fazer o diagnóstico,  todos os alimentos que o animal coma sejam considerados e relatados ao veterinário.
 

Para o diagnóstico é necessário que o animal passe por uma etapa conhecida como "dieta de restrição" justamente para descobrir se há alguma proteína desencadeando os sintomas alérgicos. Essas proteínas podem ser de origem animal  (ex: frango,boi) e de origem vegetal (ex: trigo, milho), mas é importante ressaltar que o animal pode ser alérgico a diversos outros tipos proteicos.

 

A restrição diagnóstica se baseia em remover da dieta quais quer fontes proteicas que o animal fazia uso em sua alimentação original. Para isso, é necessário a elaboração de uma dieta a base de carboidratos simples e proteínas consideradas inéditas ou através de rações comerciais específicas para esse fim.

 

Animais que já fazem uso da alimentação natural e precisam passar pela restrição não precisam voltar para a ração. São necessários apenas alguns ajustes na dieta para que as fontes proteicas em uso sejam substituídas por novas escolhas.

 

E é importante lembrar que apesar das frutas e legumes não serem muito comuns de causar alergias nos animais, elas devem ser removidas da alimentação durante os testes de restrição!!

Após esse período inicial de teste, se houver melhora da pele, uma nova etapa (fundamental) será feita, na qual as proteínas comuns serão oferecidas ao animal para saber se o organismo reagirá mal a alguma delas, concluindo assim a investigação alimentar.

 

Então já sabe, se o seu animal está apresentando feridas na pele, coceira, otite, lambedura de patas, ele pode ter uma doença alérgica e é preciso levá-lo ao veterinário especializado para um diagnóstico preciso!!

 

 

Postado em
November 18, 2021
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos