E

m busca de evitar que cadelas e gatas entrem no cio e deem cria, muitos tutores buscam soluções simples e rápidas - as injeções/vacinas ou pílulas à base de hormônios. Um grande facilitador para seu uso é o baixo custo e o fácil acesso, pois não precisa de receita veterinária. Porém, esse tipo de medicamento pode causar muitos problemas à saúde de gatas e cadelas.


O que é o anticoncepcional?

Os contraceptivos são produtos criados em laboratório para mimetizar o hormônio progesterona. Uma vez no organismo, a fêmea não entra no cio, pois a progesterona inibe a ovulação.

O anticoncepcional pode ser encontrado de duas formas: 

  • Pílulas: que devem ser dadas a cada 15 dias ou mensalmente
  • Injeção: também chamada de vacina, e é aplicada a cada 4-6 meses.


A injeção anti-cio não deve ser aplicada em qualquer momento. Não é após a cruza e nem quando a fêmea entra no cio. As próprias bulas dizem que devem ser aplicadas na época de anestro. No nosso blog explicamos melhor sobre as fases do cio da gata e da cadela. Mas, resumidamente, o anestro é a fase do ciclo estral, onde ocorre a baixa dos hormônios, indicando que a fêmea não está prenha.


Gatas e Cadelas: Efeitos colaterais

Analisando o tópico anterior, é possível detectar dois problemas iniciais: ao optar pelas pílulas o tutor corre risco de esquecer de oferecer o medicamento, já ao optar pela injeção, ela precisa ser aplicada no momento certo. Ao serem usados de forma errada, além de não ajudarem evitando o cio, vão colaborar no desenvolvimento de muitas doenças perigosas nas fêmeas.


Os efeitos colaterais podem ser vistos após dias da primeira aplicação do anticoncepcional, mas são mais frequentes após longos períodos sendo utilizados. Eles são preocupantes, pois podem se agravar rapidamente. Os efeitos colaterais são:

  • Acromegalia: aumento de tecidos moles e ósseos devido ao aumento da progesterona.
  • Apatia: as fêmeas vão começar a sentir dor devido aos outros problemas que o anticoncepcional causa.
  • Aumento ou perda de peso: o primeiro ocorre por problemas hormonais e o segundo devido às infecções e tumores.
  • Cistos uterinos e ovarianos: são formações não neoplásicas, mas causam sintomas de dor.
  • Dermatite: inflamação da pele pelo aumento da progesterona.
  • Diabetes: ocorre uma resistência insulínica periférica devido ao aumento de hormônio do crescimento.
  • Hiperadrenocorticismo/Síndrome de Cushing: ocorre pela supressão da adrenal, fazendo com que o cortisol seja produzido inadequadamente.
  • Metrite: infecção uterina menos grave que a piometra, mas tão importante quanto.
  • Neoplasia mamária: em gatas, pode ser mais perigoso que em cadelas pelo fato de possuírem uma proliferação mamária acelerada durante a puberdade, responsiva à progesterona, tendo um aumento de mama extremo levando a problemas maiores, como necrose e ruptura da pele.
  • Piometra: infecção uterina grave, podendo causar a morte da fêmea.
  • Problemas na gestação e parto: se a fêmea estiver gestante ao receber o contraceptivo, ela não vai conseguir entrar em trabalho de parto, podendo causar anomalias nos filhotes ou até levar a óbito tanto os filhotes quanto a ela própria.
  • Queda e descoloração dos pelos: reação da injeção no local da aplicação
  • Tumores uterinos: causados pelo desequilíbrio hormonal.
  • Morte: consequência de qualquer uma das enfermidades citadas acima.


Tais efeitos deletérios podem ser encontrados na bula também desses contraceptivos.


Tratamento 


Todas essas doenças vão levar os tutores a procurarem tratamentos veterinários, muitas vezes de emergência. As cadelas e gatas, dependendo de qual enfermidade, vão precisar de: castração (piometra, metrite, tumores, cistos), insulinoterapia (diabetes), cirurgia (neoplasia mamária), entre outras intervenções. E existem problemas que não será possível reversão, infelizmente.


Prevenção

A prevenção é simples: castração eletiva. Além da sua fêmea não correr risco de emprenhar, se a castração for realizada antes do segundo cio, ocorrerá uma redução no risco de desenvolvimento de tumor mamário. Além disso, quando é de forma eletiva, essa cirurgia raramente trará problemas para as fêmeas, pois se tem tempo para realizar os exames pré-anestésicos que vão identificar se terá riscos durante a cirurgia. Diferente de quando é emergencial, na qual a fêmea precisa ser levada às pressas ao centro cirúrgico.


A castração não precisa ser na fêmea, se você pensa que será muito ruim para ela. Existe a opção de castrar o macho que convive com ela. Tanto em machos quanto em fêmeas, a castração vai requerer a atenção do tutor por alguns dias, para fazer curativos até os pontos secarem, após isso, a vida vai continuar normalmente, com seu pet bem e feliz.

Pensando que as gatinhas e cachorrinhas podem dar cria durante toda sua vida, a castração é uma melhor opção do que o contraceptivo que deverá ser aplicado enquanto a fêmea viver.


O preço dessa cirurgia pode ser alto e varia entre regiões do Brasil, cidade e bairro. Mas sempre há a possibilidade de conseguir a esterilização gratuitamente ou a preço popular. Hoje em dia tem aumentado o número de campanhas em prefeituras e até de ONG’s. 


Contudo, se o intuito do tutor é evitar o cio por um tempo, mas depois ter cria de sua gata ou cadela, existe solução para que não seja utilizado o anticoncepcional:

  • Se sua fêmea convive com um macho, ao perceber que o macho já está alterando o comportamento perto da fêmea, a vulva começa a inchar e tem a secreção sanguinolenta, separe-os. O macho vai chorar, vai ficar carente, porque o instinto é a cruza, mas isso não vai demorar muito tempo.
  • Evite passeios em locais que você sabe que encontrará machos, eles são atraídos pelo cheiro.
  • Não permita que a sua gata ou cachorra saiam de casa sozinhas. Verifique locais onde elas podem fugir e coloque uma barreira.
  • Se o maior incômodo é a secreção sanguinolenta, você pode utilizar calcinha/fralda higiênica para animais.


Quando posso usar? 

O ideal, é que não utilize esse tipo de medicamento jamais. Entretanto, existem relatos que os medicamentos anti-cio podem ser utilizados em terapias comportamentais, problemas dermatológicos, controle de reprodução. Na bula do anticoncepcional, é dito que o produto pode ser utilizado em caso de gestação indesejada, quando a fêmea não pode passar por cirurgia e a possibilidade de morte da fêmea durante a gestação.


Na bula já encontramos o erro, pois já foi comentado que não se deve aplicar a injeção anti-cio quando a fêmea já está prenha. E a própria bula diz que deve ser aplicada no momento de anestro. 


Por isso, para o uso do contraceptivo, é necessário o acompanhamento de um médico veterinário para realizar uma citologia vaginal (identificar em qual período do ciclo estral a fêmea se encontra), e um ultrassom abdominal (excluir a chance de que a fêmea está prenha). E mesmo com esse acompanhamento, os efeitos colaterais podem acontecer do mesmo jeito.


Mas a real pergunta é: “Compensa usar o anticoncepcional na fêmea?”. Se a maior questão é porque o anticoncepcional é barato, vamos ver na perspectiva financeira:

1) O uso do contraceptivo deve ser usado apenas por acompanhamento veterinário:

  • Consulta: em torno de R$ 60,00-110,00.
  • Citologia vaginal: em torno de R$ 80,00.
  • Ultrassom abdominal: em torno de R$ 200,00-250,00.
  • O medicamento anti-cio: em torno de R$ 6,00.
  • Temos um total de R$ 346,00-446,0.

2) Castração eletiva

  • Tem tempo para pesquisar os preços mais baratos e conseguir vaga em campanhas de prefeitura e de ONGs, então você pode ter apenas gastos de medicamentos (anti-inflamatórios, controle de dor). 
  • O total de gastos pode ser de R$ 50,00-1.000,00 (pensando que fez a castração em clínica particular).

3) Quando se usa o anticoncepcional sem orientação veterinário:

  • Tumores: quimioterapia mais cirurgia pode chegar a mais de R$ 3.000,00s (injeções quimioterápicas custam em média R$180,00 e devem ser realizados exames constantemente para acompanhar se o tumor está regredindo ou evoluindo)
  • Doenças no útero: castração de emergência - nesse caso não dá para esperar na fila de campanhas e nem de ONGs. Nesse caso, o custo pode chegar a mais de R$ 1.000,00.


Mas não se esqueça que a prioridade é a saúde e bem estar da sua gatinha e/ou cachorrinha. Ela é o mais importante!


Pensando em cuidar da saúde da sua pet, nós podemos te ajudar no controle das datas de vermífugos, vacinas, anti pulgas/carrapatos. E o melhor: é gratuito! Cadastre o seu pet e nos envie uma mensagem!


Postado em
March 10, 2022
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos