M

uito pior que saber da existência das doenças, é ver um ente querido doente, especialmente se é da nossa família peluda. É por isso que você precisa saber sobre cinomose. É uma doença viral, altamente contagiosa, mas pode ser evitada, tratada e até curada. O tratamento e a cura não são fáceis, mas são possíveis.

A cinomose "clássica", começava com problemas respiratórios. Mas muita coisa mudou com o decorrer do tempo - o vírus, o ambiente, a resistência dos animais, a interferência da vacinação. Os principais sintomas  respiratórios são:

  • Secreção nasal,
  • tosse,
  • dificuldade de respirar.

Os sintomas comuns a qualquer manifestação são: febre, diminuição do apetite, apatia, secreção ocular devida a conjuntivite, vômitos, diarréia.
As manifestações dermatológicas mais comuns são a presença de pústulas abdominais e espessamento dos coxins plantares (as almofadinhas das patas).


Mas no decorrer da doença, depois um tempo, o vírus atinge o sistema nervoso, agravando imensamente a situação e dificultando o tratamento. As manifestações de origem neurológica são:

  • Espasmos musculares involuntários,
  • vocalização,
  • convulsões,
  • paralisia parcial ou total principalmente dos posteriores.


A doença é restrita aos canídeos silvestres e urbanos. No meio urbano o cão é o mais atingido. A cinomose é transmitida e se espalha por meio  do contato com as secreções do nariz, dos olhos, da boca (saliva)  e da urina do cão infectado. O vírus da #cinomose não sobrevive muito tempo no ambiente, mas enquanto está vivo,  pode ser transmitido por brinquedos, camas e tigelas compartilhados.


Portanto, se você tem um filhote de cachorro, um idoso ou um cão com qualquer condição imunológica desfavorável em casa, tome cuidado. Esses são os mais comumente afetados (mesmo que possa acontecer com qualquer cão de qualquer idade). E uma vez que atinge o sistema nervoso do seu cão, um diagnóstico precoce é muito importante! Caso contrário, pode haver sequelas neurológicas, que são para o resto da vida do seu melhor amigo.


E agora que você conhece os sintomas e a causa, vamos ver o que fazer a respeito da prevenção. Felizmente, existe uma vacina para cinomose! Então, é assim que funciona para filhotes:


  • A vacina deve ser aplicada em 3 doses.
  • Idealmente, seu filhote deve ter 6 semanas de idade para a primeira dose.
  • Deve ser aplicada  com um intervalo de 21 a 30 dias  até que se completem as 3 doses.
  • É necessário reforços anuais, por toda a vida do cão.


E quanto a cães adultos ou idosos que nunca foram vacinados contra a cinomose:

  • Aplicar 1 a 2 doses,
  • também  intervaladas de 21 a 30 dias, com reforços anuais.



No entanto, se o seu cão já sofre com esta doença, deve, o quanto antes, levá-lo ao veterinário.  No  tratamento devem ser usados antivirais, anticonvulsivantes,  vitaminas do complexo B, ômega 3, probióticos, antibióticos, analgésicos e antitérmicos, dentre outros, conforme a necessidade de cada paciente. E existe a cura, mas requer um tratamento de longo prazo e que o sistema nervoso seja menos afetado. O seu cão pode se recuperar ou entrar em cuidados paliativos, dependendo da sua resposta aos medicamentos.


E esta é apenas uma das inúmeras razões pelas quais os exames preventivos são tão importantes. Portanto, seja o seu cachorro um filhote, um adulto ou um idoso, você nunca se arrependerá de ter certeza de que ele está bem.

Postado em
April 22, 2021
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos