O

s rins são órgãos muito importantes para todos os seres vivos. Eles têm como função: excretar produtos metabolizados como ureia e creatinina; fazer o equilíbrio hidroeletrolítico (manter proporção dos líquidos entre as células - isso ajuda a controlar a temperatura do corpo, por exemplo); ajudar no equilíbrio ácido-básico (manter as células funcionando normalmente); colaborar na hematopoiese (produção de células sanguíneas); participar na síntese de hormônios e auxiliar no controle da pressão arterial. Percebeu? São órgãos que precisamos cuidar muito bem. E nada melhor como o Março Amarelo para conscientizar os cuidados que precisamos ter com nossos pets.


Doenças Renais

Existem muitos problemas renais que podem acometer cães e gatos desde filhotes até mais velhos, como:


  • Defeitos anatômicos e congênitos: Mais presente em cães e gatos jovens que podem apresentar cistite juvenil, doença renal crônica juvenil, persistência do úraco, ureter ectópico. Os animais acometidos por essas enfermidades vão apresentar: obstrução uretral (cristais, urólitos, uratos), incontinência urinária, dermatopatia secundária, gastrite, vômito (com ou sem sangue), osteopenia, megaureter, pielonefrite.
  • Infecções: Ocorre mais em cães do que em gatos, principalmente pelo pH da urina do gato ser mais ácido. Infecção é quando o microrganismo permanece e se multiplica, podendo causar aumento da frequência e do volume urinário, vômito, perda de peso, febre, desidratação, dor abdominal.
  • Cálculos (urolitíases): Ocorre tanto em fêmeas quanto machos, mas pelo diâmetro da uretra do macho, pode ser pior. Os sintomas e consequências são variados, pois os bichinhos podem não apresentar nada ou ter sangue na urina, dor abdominal, dor e dificuldade ao urinar, pielonefrite, hidronefrose, doença renal crônica.
  • Neoplasias: Raro em gatos! Em cães, o mais comum é o carcinoma urotelial. As raças caninas mais comuns são: Samoieda, Beagle, Sem Raça Definida, Terrier Escocês e West Highland White.Os cães vão apresentar dor e dificuldade ao urinar, sangue na urina, obstrução uretral.
  • Obstrução uretral: Pode ser uma consequência de urolitíases, neoplasias, cistites e vão causar grandes problemas em todo o organismo, pois ocorre o acúmulo de ureia, creatinina, fósforo e cálcio. Cães e gatos podem apresentar vômito, problema cardíaco, a bexiga pode distender podendo levar à ruptura e infecção generalizada. Falamos um pouco mais sobre a obstrução uretral em gatos no nosso blog.
  • Insuficiência renal: Pode ser encontrada mais em cães do que em gatos. Começa com uma lesão renal por diversos motivos (desidratação, obstrução, destruição de glomérulos por intoxicação etc). A princípio os animaizinhos podem diminuir a frequência mictória, mas depois aumentar, azotemia, acidose metabólica, vômito, diarreia, sangue na urina e fezes, edema pulmonar, problemas neurológicos, podendo evoluir rapidamente para óbito ou para uma doença renal crônica. Falamos mais sobre a insuficiência renal no nosso blog.
  • Doença renal crônica: Gatos vão desenvolver esse problema mais do que em cães, com uma proporção de aproximadamente 7:1, ou seja, fazendo atendimento de cães e gatos você pode encontrar 7 gatos com doença renal crônica e 1 cão com a enfermidade. Acomete, principalmente, animais mais velhos e pode causar: aumento da ingestão de água, aumento da frequência de micção, hipertensão, anemia, vômito, anorexia, apatia, mau hálito e úlceras na boca.


Todas as raças podem apresentar qualquer uma dessas enfermidades, porém existem raças que ganham mais destaque e até se repetem entre as doenças renais, como: 

  • Cães: Beagle, Chow Chow, Cocker, Dálmata, Golden Retriever, Lhasa Apso, Pastor Alemão, Poodle,  Rottweiler, Samoieda, Sharpei, Shih Tzu.
  • Gatos: Abissínio, Angorá, Azul Russo, Birmanês, Maine Coon, Persa, Siamês.



Suspeito que meu pet está com problema renal, e agora?

A qualquer suspeita, você deve levar seu pet o quanto antes a um veterinário. Seu animalzinho precisará ser examinado clinicamente e, a partir do que for encontrado, serão pedidos exames. São eles:

  • Urina: urinálise, relação proteína:creatinina, cultura e antibiograma.
  • Sangue: ureia, creatinina, eletrólitos (sódio, potássio, cálcio, fósforo), hemograma, proteína total, albumina, colesterol, hemogasometria.
  • Imagem: radiografia simples, radiografia contrastada, ultrassonografia, cistoscopia.
  • Citologia ou biópsia.
  • Aferição da pressão arterial.


Esses exames podem ser utilizados tanto para prevenir quanto para acompanhar a doença renal.


Tratamento

Infelizmente, muitas dessas doenças são descobertas tardiamente, dificultando ou até impossibilitando o tratamento. As formas de tratamento vão variar de acordo com: o caso, o estado que o cão ou gato se encontra, a evolução da doença e o que será encontrado nos exames. 

Pode ser que o seu pet irá precisar de uma cirurgia, antibiótico, anti-inflamatório, controle da dieta, medicações antinauseantes, estimulante de apetite, fluidoterapia, entre outras intervenções.

A doença renal crônica, principalmente, não tem cura. Isso acontece porque quando ela é diagnosticada, mais da metade dos rins foi perdida. Contudo, recebendo o tratamento, controlando os problemas secundários, os cães e gatos conseguem viver com uma boa qualidade de vida e existem relatos de viverem até 6 anos após a descoberta da doença.


Prevenção é a melhor opção!

Vimos várias doenças que podem ser causadas tanto em cães como em gatos, umas mais em cães e outras mais em gatos. Sabe o que elas têm em comum? Podem ser evitadas ou, pelo menos, descobertas com antecedência, aumentando a chance de uma recuperação total. Por isso, é essencial que você:

  • Ofereça sempre água limpa e fresca.
  • Incentive que seu pet beba água - principalmente gatos. Os cães já respondem melhor à sede, gatos não são assim. Então invista em bebedouros que o atraem, pedras de gelo, pode oferecer mais sachês (ração úmida).
  • Estimule brincadeiras e exercícios físicos.
  • Mantenha a vacinação em dia.
  • Mantenha seu pet livre de endoparasitas (verminoses) e ectoparasitas (pulgas, carrapatos).
  • Ofereça alimentos bons, de preferência rações premium/super premium
  • Sempre leve seu pet para uma avaliação veterinária, principalmente se você reparar algo diferente nele.


Não esqueça, a prevenção é mais barata que um tratamento após a doença chegar, pois o mais caro não são os medicamentos e, sim, a vida do seu pet.


Vamos compartilhar e conscientizar mais pessoas em relação às doenças renais? Quanto mais pessoas sabendo sobre, mais animaizinhos saudáveis teremos. A GuiaVet consegue te ajudar no controle de endo e ectoparasitas, além de te lembrar sobre as vacinações. Cadastre o seu pet aqui!


Postado em
March 3, 2022
na categoria
Notícias e Curiosidades

Mais artigos em:

Notícias e Curiosidades

ver todos