A

chegada de um filhote traz muitas dúvidas aos novos tutores que estão ansiosos com este momento! Tanto para tutores de longa data quanto para os novatos, frequentemente aparece o questionamento sobre as mordidas e destruições de objetos pelos filhotes.


Antes de tudo, é importante entender que, ao chegar, o filhote está num processo intenso de adaptação e reconhecimento do ambiente e pessoas — seu novo lar! Neste caminho, ele encontrará um mundo de possibilidades e uma das formas de explorar este mundo é com a boca.


Filhotes mordem bastante porque existe a combinação de descobertas desses novos objetos + alto nível de energia + troca de dentes + tédio. Essa mistura de estímulos pode acabar  os levando a criar o hábito de roer e destruir móveis e objetos da casa.


Para controlar este comportamento e direcionar as mordidas para os brinquedos precisamos agir em cada ponto dessa mistura:


1. Investir em brinquedos de texturas e funções diferentes

Não adianta oferecer várias bolinhas de cores e tamanho diferentes; é importante oferecer brinquedos variados para atividades variadas.  Uma caixa de brinquedos eficiente é aquela que tem pelúcia, corda, bola, brinquedos de roer como o casco/chifre de boi (esqueçam os ossinhos brancos, pois oferecem riscos aos cães), brinquedos interativos (como quebra-cabeças e bolas de rechear com ração e petiscos). Cada um desses brinquedos oferecerá estímulos específicos e dessa forma o filhote gastará uma grande parte de energia.


2. Troca de dentes

Se um filhote está na fase de troca de dentes (quando a gengiva começa a incomodar bastante) ele aliviará este incômodo. Podemos oferecer cascos/chifres para os momentos que ele morderá algo, pedrinhas de gelo para um alívio na gengiva, e precisamos evitar deixá-lo sem supervisão, pois este é o período de pico das destruições de objetos e móveis.


3. Tédio

Um cão sem atividades e estímulos buscará formas de se entreter. Criar uma rotina com passeios diários (mínimo 1h por dia para cães adultos saudáveis), estímulos mentais (brincadeiras e brinquedos interativos), socialização (com pessoas e outros cães), contato com natureza (fundamental para todos os cães), não deixá-lo confinado por muito tempo em locais sem opções de interação e atividades (deixá-lo preso em algum cômodo da casa por um longo período , vai resultar em muita energia acumulada e muito tédio).


4. Ajuda profissional

Busque ajuda profissional de adestramento e passeadores caso tenha dificuldades. Um profissional vai te ajudar a passar por este período! Lembre-se de procurar aqueles profissionais que utilizam a metodologia positiva!

Postado em
March 17, 2021
na categoria
Comportamento

Mais artigos em:

Comportamento

ver todos