A

FeLV é popularmente conhecida como a "leucemia felina" e acomete gatos de todas as idades. A doença afeta o sistema imunológico dos bichanos e pode desencadear no surgimento de várias outras enfermidades. Descubra mais sobre os sintomas e como tratar a doença.


O que é FeLV


A FeLV é uma doença causada por um vírus pertencente à família Retroviridae e afeta o sistema imunológico dos gatos. É uma doença grave que pode, inclusive, levar o animal à morte.

A transmissão do vírus acontece pelo contato de um animal saudável com a saliva ou secreções de um animal infectado. Por isso, é sempre bom se atentar para objetos compartilhados, como brinquedos, caixas de areia, comedouros e bebedouros.

Importante: caso os seus gatos tenham o hábito de lamber um ao outro como forma de demonstrar carinho, atente-se pois também há um risco de transmissão da FeLV dessa forma, caso um dos bichanos esteja contaminado.


A doença é muito conhecida como a leucemia dos gatos, sendo um retrovírus: um organismo que facilita que bactérias e vírus entrem no corpo do animal. A FeLV não tem cura, mas existem tratamentos que permitem que o gato conviva com a doença de maneira saudável, evitando agravamentos. 

Um ponto importante é que a vacina V5 também é capaz de prevenir a doença! Antes de vacinar o seu gato com uma dose da V5, faça a testagem para conferir se o animal já não convive com a FeLV. Se o teste der negativo, a vacina V5 pode ser aplicada e funcionar como uma barreira de proteção adicional contra a FeLV.


Sintomas da FeLV em gatos


É importante ressaltar que, assim como a FIV, a FeLV pode ser assintomática nos estágios iniciais da doença, em alguns casos. Por isso, pode ser que o seu bichano esteja convivendo com o vírus e ainda não tenha apresentado sinais.

Nos casos sintomáticos, o surgimento de alguns sintomas deve ser acompanhado de perto. Atente-se caso o seu gato apresente:

  • Febre
  • Dificuldade para respirar
  • Problemas digestivos e intestinais
  • Perda de peso
  • Apatia


Vale lembrar que estes são apenas alguns dos possíveis sintomas. Como a FeLV afeta principalmente o sistema imunológico, ela pode ocasionar o surgimento de outras doenças e, com elas, novos sintomas.

Em casos mais graves, a FeLV também pode causar linfomas (um tipo de câncer), problemas cardíacos, neurológicos e hematológicos e até certos tipos de paralisias.


O diagnóstico é feito através de um teste sanguíneo para detectar a presença do vírus no organismo. Se notar o surgimento de algum desses sintomas ou suspeitar que o seu bichano tenha tido contato com um animal contaminado, leve-o à uma clínica veterinária para fazer a testagem o quanto antes!


Meu gato está com FeLV e agora?


Caso o seu bichano tenha recebido o diagnóstico da FeLV é hora de iniciar os primeiros cuidados. Como dissemos, a doença não tem cura e, assim, o tratamento é focado em minimizar os danos do vírus no organismo e fazer com que o gato leve uma vida saudável.

Após o diagnóstico, o veterinário poderá indicar o uso de medicação oral para tratar de alguns sintomas de doenças que poderão surgir em decorrência da FeLV. 

A doença irá progredir de acordo com a resposta do organismo do animal. Muitos tutores se questionam sobre quanto tempo vive um gato com FeLV e a resposta é um tanto incerta. A expectativa, em média, é que o animal viva por mais 3 anos após o diagnóstico.

Nesse período, aproveite para dar muito carinho para o seu bichano, além de oferecer conforto, uma boa alimentação e uma rotina de atividades físicas. Nesses casos, a castração também é recomendada para prevenir algumas doenças! 


Importante: quando um gato convive com a FeLV, os tutores devem tomar cuidado para que ele não tenha contato com outros gatos ou compartilhe objetos, para evitar o risco de novas contaminações pelo vírus. 


Entenda que o bichano está passando por um período delicado e que todo cuidado é pouco! Além disso, não deixe de monitorar a progressão da FeLV fazendo consultas com um veterinário, tudo bem?


Importante: o ideal para que seu bichano não transmita a FeLV é não permitir que ele fique passeando na região, ou seja, o melhor para ele é ficar em casa o tempo todo. Para isso, você precisará investir em enriquecimento ambiental! Brinquedos, prateleiras em paredes e obstáculos pela casa, por exemplo, são ótimas opções.


E então, você já conhecia a FeLV? Não deixe de fazer testagens preventivas em seus amigos bigodudos para iniciar o tratamento o quanto antes, combinado? Caso o seu pet tenha sido diagnosticado, tente manter a calma e garantir uma vida saudável ao bichano, repleta de amor e cuidado.


Não esqueça nunca mais das datas de vacinação do seu gatinho, cadastre-se na nossa plataforma de controle de saúde. Você recebe lembretes e pode convidar toda sua família para cuidar do seu pet junto com você! Clique aqui e cadastre-se, é gratuito.


Postado em
January 20, 2022
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos