T

odos nós sabemos como alguns dias podem ser bastante frios, mesmo vivendo em um país tropical como o Brasil, em alguns meses as temperaturas podem cair bastante, e como nós, nossos pets também podem sentir essas mudanças de temperatura, o que pode favorecer o desenvolvimento de algumas doenças, principalmente aquelas causadas por vírus e bactérias oportunistas. 

Confira algumas dicas de como deixar seu cão e gato protegidos do frio

Proteção contra o frio

É comum o pensamento de algumas pessoas que os animais não sentem frio, devido a sua camada de pêlos, e sim os pêlos são uma barreira essencial para proteção, contudo muitas vezes esta não é o bastante, principalmente para aqueles animais de pêlo curto. 

Para proteção dos nossos animaizinhos é indispensável oferecer um ambiente quentinho, onde não exista incidência de vento direto, como dentro de nossas casas, para animais que não tem este tipo de acesso o investimento em casinhas confortáveis, que mantenham o pet protegido do vento e do contato direto com o chão, o que favorece a troca de calor com o ambiente, são maneiras de evitar que o animal sinta frio. Uma opção de baixo custo para isso é a fabricação de casinhas utilizando duas bacias de plástico ou pneus velhos, o importante é sempre manter cobertores, caminhas, entre outros para auxiliar no aquecimento da casinha. 

No caso dos gatinhos como o ideal para eles é serem mantidos do lado de dentro de casa e ou em gatis sem acesso a rua, tanto para sua segurança como para sua saúde, o fornecimento de caminhas, cobertores podem ser feitos de forma mais difusa, dando preferência para os locais onde seu gatinho já costuma ficar mais tempo e locais altos, diferentemente dos cães, gatos se sentem mais confortáveis em locais mais elevados. 

A utilização de roupinhas de inverno pode ser uma boa alternativa para aquecimento, principalmente para cães de pequeno porte, esta deve manter o animal confortável, sem detalhes que possam levar ao incômodo e ou alergias, o algodão é um dos mais indicados para produção deste tipo de vestimenta. Já para os gatos as roupinhas podem não ser a melhor opção, já que estes dificilmente se sentirão confortáveis utilizando.

Os banhos devem ser evitados nessas épocas, devido a demora para secagem de todo o pêlo, contudo para aqueles que necessitam do banho, este podem ser feitos com maior espaçamento, como de 15 em 15 dias ou até mesmo 1 vez ao mês, o mais importante depois do banho é secar o seu pet imediatamente, o secador pode ser utilizado nesta etapa, contudo o ideal são os banhos realizados por pet shops, onde são utilizados equipamentos específicos para este fim, como também o trabalho é realizado por profissionais com experiência em deixar seu pet limpinho e seco rapidamente. 

Alimentação 

A alimentação de nossos pets deve sempre ser feita da forma mais equilibrada possível, uma nutrição adequada pode prevenir o aparecimento de algumas doenças, principalmente pelo suporte ao sistema imunológico e hidratação adequada. Nos meses frios essa alimentação adequada tem grande importância, tanto para a questão imunológica como também para produção de calor pelo próprio organismo do animal, como também a camada de gordura corporal serve como uma barreira de proteção para reduzir o frio. 

É importante também sempre fornecer água de forma abundante, já que a sua ingestão pode estar diminuída nesta época. Uma particularidade dos gatos é sua baixa ingestão de água e a sua susceptibilidade em desenvolver doenças renais, o que pode se agravar se este passar a ingerir menos água ainda devido ao clima frio. Uma boa estratégia para estimular seu gatinho a beber água é a utilização de bebedouros automáticos, já que, felinos têm preferência por beber água em movimento, um exemplo disso são aqueles animais que sempre pedem para beber água na torneira, é importante que os bebedouros estejam sempre limpos e com água fresca, como também o ideal é ter mais de um, em diferentes locais no ambiente, a quantidade de bebedouros varia também de acordo com o número de gatos que vivem no local.

Outra forma de garantir uma melhor hidratação é o fornecimento de patês e sachês, já que estes já possuem uma quantidade maior de água em sua composição, como também a mistura de um pouco de água morna a ração, que além de hidratar pode servir como aquecimento do animal, mas é importante estar atento a temperatura desta água, ela deve ser fornecida em temperatura aceitável a seu animal, isto é, pouco mais quente que a temperatura ambiente. Um detalhe importante em relação a mistura de água na ração, é que a ração diminui seu tempo de validade quando está junto á água, se tornando imprópria e ou desagrada\ável para ingestão depois de um tempo, com isso esta só deve ser fornecida no momento da alimentação e o que não for ingerido pelo animal deve ser descartado. 

Saúde

O aparecimento de algumas doenças com a mudança de temperatura também é algo importante a se observar, já que, com o frio os pets podem passar a manifestar tosse, espirros, corrimento nasal e até chiados respiratórios, na maioria das vezes são só resfriados que vão se resolver em alguns dias, contudo, a visita a médico veterinário é sempre importante no início do aparecimento destes sintomas para prevenção de uma piora no quadro, como por exemplo a evolução para uma pneumonia, especialmente para aqueles animais mais sensíveis, como idosos e filhotes, que são mais propensos a desenvolver o agravamento dos sintomas.

Um sinal importante que o resfriado pode estar ficando mais grave é a mudança de comportamento do seu pet, passando a ficar mais quieto e apático, deixando de comer ou comendo menos que o de costume e até o desenvolvimento de febre. 

 Alguns exemplos de doenças que podem vir junto com o tempo frio são:

- a Tosse dos canis, que acomete cães de todas as idades e é transmissível para outros cães pelo contato direto, isso torna os animais que frequentam locais com vários outros cães, como por exemplo creches e hotéis para cachorros mais suscetíveis a adquirir-la. Estão disponíveis no mercado vacinas para proteção contra a Tosse dos canis, que devem fazer parte do esquema de vacinação anual do seu pet, consulte seu veterinário e se informe sobre esta importante prevenção.

- E a segunda doença que pode vir a aparecer é a Rinotraqueíte felina, que acomete nossos gatinhos, essa virose que também é transmissível para outros gatos, pode vir acompanhada de espirros, secreção e congestão nasal, febre, conjuntivite e pode evoluir para uma pneumonia grave, o que torna indispensável a consulta ao médico veterinário ao perceber qualquer um dos destes sintomas. Esta doença é mais comum em filhotes devido a seu sistema imunológico imaturo, contudo também está presente em gatis superpopulosos, onde o estresse pode ser um fator importante para acarretar o início dos sintomas.

Em qualquer uma dessas doenças o importante é tentar manter seu animal, sendo ele cão ou gato, o mais confortável possível, até a visita ao veterinário, garantindo sempre que se alimente, uma sugestão é oferecer alimentos que seu animal adora, como petiscos e sachês, além de sempre observar se estão se hidratando bem. Em animais com presença de secreção ocular pode-se utilizar algodão com soro fisiológico para realizar a limpeza ao redor dos olhos, e para aliviar o desconforto da congestão nasal, a vaporização tem ótimos resultados, deixando seu pet alguns minutos do dia dentro de um cômodo pequeno, como banheiros, para a melhor vaporização do ambiente. 

Postado em
May 20, 2022
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos