O

utubro é conhecido como o mês de conscientização da importância do diagnóstico e tratamento precoces do câncer de mama. Assim como nas mulheres, as gatas e as cadelas também podem ser acometidas pelo tumor de mama, e é importante ter bastante atenção a qualquer sinal da doença. Por isso, o Outubro Rosa Pet acontece paralelamente à campanha voltada para as humanas.

O tumor de mama é um dos mais frequentes nessas espécies: é o tipo mais observado nas cadelas e o terceiro mais comum nas gatas. Geralmente, é diagnosticado em animais de meia-idade e idosos -  entre 7 e 12 anos de vida, no caso das cadelas, e entre 10 e 12 anos nas gatas -, em fêmeas não castradas e nas com histórico de uso de contraceptivos hormonais de longa ação. 

Nas cadelas, de 50% a 60% desses tumores são considerados malignos. Já nas gatas, esse valor é ainda maior, podendo chegar a 80% de tumores com características malignas e de pior comportamento.  

Como evitar o câncer de mama em cadelas e gatas? 

A castração precoce diminui o risco do  aparecimento do tumor de mama em cadelas e gatas. Cadelas castradas antes do primeiro cio apresentam um risco de desenvolvimento da doença de apenas 0,5%. Para aquelas castradas antes do segundo cio, o risco é de 8%. Caso a castração ocorra antes do terceiro cio, esse risco pode chegar a 26%. A cirurgia de castração não é considerada benéfica como método de prevenção ao aparecimento de tumor de mama quando  realizado após o terceiro cio. 

Em relação às gatas, o risco do desenvolvimento de tumor mamário quando são castradas antes dos seis meses de idade pode ser reduzido em 91%. Já nas gatas castradas antes de um ano de vida, esse risco pode ser reduzido em até 86%. As  fêmeas felinas não castradas apresentam 7 vezes mais risco de  desenvolver tumor de mama do que as castradas.  

Sabe-se também que o uso de contraceptivos hormonais, principalmente aqueles de longa duração, conhecidos popularmente como vacinas anticio, contribuem para o maior risco de se desenvolver as doenças mamárias, além de poder causar outros efeitos colaterais indesejados. Dessa forma, o uso dessas medicações, especialmente sem a orientação  de um médico veterinário, deve ser contraindicado.  

Além disso, investir em uma alimentação de boa qualidade e adotar bons hábitos de saúde aos seus pets, bem como um bom escore corporal (a condição de acordo com o peso), também são fatores que contribuem para diminuir o risco de aparecimento dos tumores de mama.  

Sintomas de câncer de mama: como identificar?

De maneira geral, as pacientes com tumores mamários encontram-se clinicamente bem no momento do diagnóstico, mas pode haver alterações nas mamas. Os tumores podem ser facilmente identificados por um profissional durante o exame físico de rotina. E da mesma forma que nos humanos, o “autoexame” de rotina em casa é uma das ferramentas mais efetivas para a detecção do câncer de mama em cadelas nos  estágios mais iniciais. O papel do tutor é muito importante nessa avaliação.

Esses tumores normalmente são caracterizados como nódulos circunscritos, bem delimitados, que podem ser bem pequenos ou de tamanho elevado em região de glândulas mamárias. Também podem ser irregulares, com áreas de ulceração ou de necrose e com a  possibilidade de alcançar tamanhos bem significativos, alguns sendo facilmente visualizados, mesmo com o animal em posição de estação, em pé nas quatro patas. 

Alguns tumores também podem apresentar os sinais de inflamação, como vermelhidão, inchaço, dor e calor, além da ocorrência de secreção saindo pelas mamas. Estes últimos sinais podem indicar que a doença é mais agressiva e que demanda maior cuidado.  

Como realizar o “autoexame” no meu animal? 

A identificação do tumor de mama não é difícil de ser realizada e pode ser feita com certa facilidade pelo tutor. É importante frisar, porém, que esse procedimento não substitui o exame clínico feito pelo médico veterinário nas consultas de rotina, mas pode auxiliar no diagnóstico  precoce da doença.  

Com o animal deitado de barriguinha para cima e relaxado, o tutor deve passar as mãos por todas as mamas. As cadelas apresentam, de maneira geral, 5 pares de mamas, enquanto as gatas possuem 4 pares. Deve-se  passar os dedos com cuidado pelo tecido mamário, como se fosse uma massagem, procurando por nódulos, aumentos de volume ou qualquer alteração na mama. Caso seja observado algo de diferente, a mama na qual a alteração foi vista deve ser marcada, e o animal deve ser encaminhado para uma consulta com um médico veterinário.  

Alguns aumentos de volume nas mamas, principalmente aqueles ocorridos após o período do cio, são benignos e não necessariamente representam uma indicação de tumor. Mas caso o tutor observe algum aumento de volume, é indicado procurar o veterinário de confiança para que o animal seja consultado, com o objetivo de realizar a diferenciação deste aumento e indicar o tratamento adequado.  

Outubro Rosa Pet: tratamento precoce é a melhor escolha 

Caso qualquer alteração mamária seja identificada, o animal deve passar por uma consulta clínica completa. O veterinário realizará o exame clínico geral, para descartar outras alterações e possíveis complicações causadas pelo tumor, como as metástases. Além disso, será realizado o exame específico das mamas, para identificar quais são as que estão acometidas  e qual é o estado da doença.  

O tamanho, a apresentação, a localização e a identificação de possíveis complicações irão definir qual é o grau da doença e o tipo de tratamento indicado. Tumores pequenos, não aderidos e sem características de ulceração e de inflamação apresentam uma melhor resposta à terapia utilizada e, geralmente, não necessitam de grandes intervenções. Ao contrário dos tumores grandes e daqueles que apresentam características ruins. Estes geralmente necessitam de intervenções cirúrgicas mais complexas e de tratamentos complementares, como a quimioterapia, além de terem maiores chances de complicações devido a metástases, principalmente nos pulmões.  

Portanto, sempre que identificado qualquer tipo de nódulo, mesmo aqueles do tamanho de um grão de arroz, deve-se realizar o acompanhamento e o tratamento adequados. Não devemos deixar essa sementinha do mal crescer. Aproveite o Outubro Rosa Pet e faça o “autoexame” na sua cadela ou gata.

Postado em
October 13, 2022
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos