C

hegamos no Setembro Vermelho! E você pode estar se perguntando: o que é essa campanha? Relaxa, eu te explico! A data foi criada para conscientizar tutores sobre a da saúde do coração dos pets. Continue lendo para descobrir como prevenir doenças cardiovasculares e cuidar do seu amigo de 4 patas.

Campanha Setembro Vermelho Pet

O coração é um órgão constituído por músculo que, juntamente aos vasos sanguíneos, forma o sistema cardiovascular. Esse sistema tem como função bombear o sangue para todos os tecidos e demais órgãos do corpo, levando oxigênio e nutrientes. Com o surgimento de doenças cardiovasculares, não só a função do coração é comprometida, como todo o organismo.

A fim de conscientizar a população, foi criada a campanha do Setembro Vermelho. Como os pets, assim como nós, também podem desenvolver essas condições, a campanha se estende a cães e gatos. Além de todo o mês apontar para os cuidados com o coração, a data de 29 de setembro foi escolhida para celebrar o Dia Mundial do Coração.

A maioria das doenças cardiovasculares acomete cães e gatos de meia-idade, a partir dos 7 anos de idade, principalmente. Porém, é possível que os pets já nasçam com esses problemas. Muitas atitudes do cotidiano podem ajudar, como rotina de exercícios físicos e boa alimentação. Além disso, é importante ter o histórico do seu animal. Se você adotou e não tem esses dados, faça uma visita a um veterinário.

Causas e sintomas de doenças do coração

Um dos objetivos do Setembro Vermelho é alertar para as possíveis causas e os sintomas que podem surgir em cães e gatos. 

As causas mais comuns das doenças do coração são:

  • Alimentação

É difícil dizer não para os olhos pidões ou miados constantes dos nossos pets quando estamos comendo alguma coisa que chama a atenção deles. Mas é necessário. Uma alimentação balanceada com bons nutrientes é um dos maiores segredos para manter a saúde do coração. Por isso, invista em rações de maior qualidade e sempre converse com um veterinário se quiser trocar a alimentação do seu pet para outra ração ou alimentação natural.

  • Idade

Cães e gatos mais velhos possuem maior chance de desenvolver problemas cardiovasculares.

  • Obesidade

A obesidade traz problemas diversos no organismo, como diabetes e problemas em articulações, além das alterações cardíacas.

  • Predisposição genética

Algumas raças são mais predispostas a apresentarem alterações cardíacas. As principais raças de cães são: Beagle, Boxer, Bulldog, Cavalier King, Cocker, Poodle, Spitz Alemão, Yorkshire e as de porte gigante. As principais raças de gatos são: American Shorthair, British Shorthair, Maine Coon, Persa, Ragdoll, Siamês e Sphynx.

  • Sedentarismo

Além de contribuir para os pets desenvolverem obesidade, o sedentarismo corrobora o surgimento de cardiopatias.

Os sintomas podem ser variados. Entretanto, os gatos tendem a apresentar menos sinais clínicos do que cães, tornando o diagnóstico mais difícil. Os mais comuns são:

  • Anorexia
  • Apatia
  • Desmaios
  • Emagrecimento
  • Fadiga
  • Falta de ar
  • Indisposição
  • Língua e mucosas arroxeadas ou azuladas
  • Paralisia (formação de trombos, principalmente em gatos - é doloroso)
  • Perda de apetite
  • Resistência ao exercício físico
  • Respiração rápida e ofegante
  • Tamanhos diferentes em ninhadas (menor e mais magro)
  • Tosse seca (cães em situações que estão muito agitados, principalmente)

Doenças cardiovasculares em cachorros

Degeneração mixomatosa da valva mitral: também conhecida como insuficiência da valva mitral, é a doença cardíaca que mais acomete cães, sendo responsável por 75% dos casos cardíacos, principalmente nos animais de raça pequena e idosos. A princípio, o problema pode parecer respiratório, pois os principais sintomas são tosse e dificuldade respiratória.

Cardiomiopatia: segunda doença do coração que mais acomete a espécie, especialmente os de grande porte. Eles podem apresentar fraqueza e desmaios, além de desenvolver arritmias cardíacas, que podem causar morte súbita. A cardiomiopatia pode ser hipertrófica (aumento da musculatura do ventrículo, dificultando seu relaxamento) ou dilatada (aumento das câmaras cardíacas, deixando o coração mais fraco).

Dirofilariose: conhecida amplamente como verme do coração, é causada por um verme transmitido pela picada de um mosquito. Quando a larva é depositada na corrente sanguínea, chega no coração e cresce, podendo causar sintomas como tosse, fraqueza e respiração acelerada.

Insuficiência cardíaca congestiva: o coração deixa de ser capaz de bombear sangue, oxigênio e nutrientes necessários para o organismo.

Doenças cardiovasculares em gatos

Os gatos também podem desenvolver problemas cardíacos, porém a incidência na espécie é menor. Além disso, eles não costumam dar muitos sinais clínicos, principalmente pela sua vida menos agitada do que a dos cães. Quando apresentam algum sintoma, normalmente a doença está muito avançada. 

As alterações cardíacas são, principalmente, musculares, causando as cardiomiopatias. As principais são:

  • Cardiomiopatia hipertrófica (CMH): atinge principalmente machos de meia-idade e é a doença cardíaca mais comum em gatos. Ocorre quando o ventrículo (uma das câmaras do coração) sofre aumento na sua musculatura, podendo levar a vários problemas, como desenvolvimento de trombos. A maioria dos gatos dificilmente demonstrará algum sintoma. Infelizmente, essa doença causa morte súbita.
  • Cardiomiopatia restritiva (CMR): segunda doença cardíaca mais comum em gatos, faz com que o coração endureça. Ele sofre um processo de fibrose (muito semelhante a um machucado que está cicatrizando). Assim, o coração não consegue cumprir o seu papel, desenvolvendo aumento do átrio (uma das câmaras do coração) e levando a diversos outros problemas, como a insuficiência cardíaca congestiva
  • Cardiomiopatia dilatada: o coração aumenta de tamanho, mas, diferentemente da CMH, a parede do coração afina e fica muito fraca. Isso prejudica a contração do órgão, fazendo com que o sangue não seja bombeado adequadamente para o organismo.

Diagnosticando doenças do coração

A consulta com um veterinário é essencial. O profissional vai pedir todo o histórico do pet e realizar os exames físicos. Dentre eles, é feita a ausculta cardíaca, na qual o médico veterinário é capaz de ser detectar o sopro (ruído que ocorre pela passagem do sangue de uma forma incorreta) e observar a coloração das mucosas, hidratação, dentre outros parâmetros.

Após esse primeiro exame, são realizados: aferição de pressão arterial (hipertensão pode estar relacionada a problemas cardíacos, além de insuficiência renal, hipertireoidismo e hiperadrenocorticismo), radiografia do tórax (checagem do tamanho e formato da silhueta cardíaca), eletrocardiograma (verificação de alterações no ritmo cardíaco), ecocardiograma com ou sem doppler (observação de toda a estrutura do coração e se o fluxo sanguíneo está correto).

O diagnóstico precoce é a melhor forma de oferecer um tratamento logo no início da doença, proporcionando maior qualidade de vida e mais tempo aos pets. Afinal, os sintomas podem passar despercebidos, dando a impressão de que pode ser outro tipo de problema  ou nem existir, especialmente quando se trata de gatos. Então, o melhor para os cachorros e gatos é que façam visitas periódicas ao veterinário para verificar se a saúde do coração está em dia, mesmo não demonstrando nenhum sintoma.

Doenças cardíacas têm tratamento?

Sim, porém o tratamento vai depender de qual doença cardiovascular o pet apresenta. O tratamento pode ser apenas o acompanhamento veterinário ou incluir medicamentos para diminuir a pressão arterial e o esforço cardíaco, anticoagulantes, diuréticos, entre outros. Pode ser feito também por meio de cirurgia.

Algumas doenças congênitas são resolvidas pela cirurgia, mas doenças adquiridas ainda não possuem cirurgias curativas, sendo a única opção de tratamento os medicamentos.

Após diagnosticado com uma doença cardiovascular, seu pet vai precisar que alguns cuidados sejam tomados:

Estresse: viagens longas, barulhos excessivos ou mesmo longos períodos sozinhos são exemplos de situações que podem causar estresse nos animais. Você deve evitar esse tipo de situação com seu pet cardiopata.

Exercício físico: sim, exercícios para cardiopatas são muito importantes, mas não exagere! O coraçãozinho de cães e gatos não deve ser sobrecarregado.

Obesidade: se seu animalzinho está acima do peso, crie uma rotina de exercícios e mudanças na alimentação para que não haja mais complicações para o funcionamento do coração dele.

Temperatura: frio ou calor extremo podem ser perigosos para os pets cardiopatas. Ofereça um ambiente agradável e confortável, com disponibilidade de sombra e água fresca.

Como prevenir doenças cardiovasculares

Algumas atitudes podem ser tomadas para prevenir doenças cardíacas. A campanha do Setembro Vermelho existe para que você saiba o que fazer para manter a saúde do coração do seu pet em dia.

A principal forma de prevenção é a consulta periódica com um veterinário, pois, caso o seu cão ou gato desenvolva alguma doença cardiovascular, ela será detectada mais cedo, e o tratamento terá mais chances de sucesso.

Oferecer uma ração de qualidade, com vitaminas, minerais e outros nutrientes necessários para uma vida saudável de cães e gatos, é muito importante. Se você quer optar pela alimentação natural, busque ajuda de um veterinário.

Estimule atividades físicas e aproveite para passar mais tempo com seu melhor amigo e brincar com ele (com ou sem brinquedos). Invista em prateleiras, brinquedos e arranhadores para gatos que os deixem mais entretidos e não fiquem estressados e ansiosos.

Todos esses cuidados devem ser realizados em todas as idades, mas a atenção deve ser redobrada nas raças que têm maior predisposição e idosos.

Agora que você sabe sobre a importância do coração e as doenças que podem acometer cães e gatos, o que acha de compartilhar esse texto contribuindo para que mais pessoas conheçam a campanha Setembro Vermelho? Quanto mais tutores tiverem esse conhecimento, mais bichinhos terão uma vida mais saudável e feliz!

E se você tem alguma dúvida, a Guiavet está aqui! Faça seu cadastro e converse com nossos veterinários. A Guiavet está aqui para te ajudar a dar uma vida mais feliz e saudável para o seu cachorro e gato!

Saiba mais

Para um conhecimento mais aprofundado sobre Setembro Vermelho, você pode dar uma olhada nesses sites:

Postado em
September 9, 2022
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos