V

iajar com cães e gatos tem se tornado algo cada vez mais comum, seja de carro, ônibus ou avião. Porém, para isso são necessários alguns cuidados antes de sair de casa. Então, para te ajudar a fazer uma viagem mais tranquila, a Guiavet reuniu as informações mais importantes que você precisa saber. 

Cuidados Gerais

A consulta com um médico veterinário é essencial, principalmente, quando a viagem for longa. Não só pelos documentos que serão precisos nas viagens, mas por ser uma situação estressante para o seu cachorrinho ou gatinho. É bom garantir que seu pet esteja com a saúde em dia para evitar possíveis complicações. Além disso, pode ser prescrito medicamentos tranquilizantes, antinauesantes e antieméticos para uma viagem mais tranquila. 

Outro cuidado fundamental é se certificar de que as vacinas do seu animal estão em dia. Nas viagens de avião, por exemplo, a carteirinha de imunização é obrigatória. Alguns estabelecimentos, como hotéis e pousadas, também podem exigir o registro. Um complicador durante o planejamento é se lembrar o local que o documento físico está guardado ou perdê-lo no trajeto. Nesse contexto, a carteira de vacinação digital para pets surge como um facilitador para a rotina do tutor.  

Para ter acesso, basta baixar o aplicativo da Guiavet, cadastrar os bichinhos de estimação da família e registrar suas vacinas. O histórico de imunização fica salvo na plataforma disponível a qualquer momento e o tutor ainda recebe alertas com as doses de reforço. 

A carteira de vacinação digital já é válida em todo território brasileiro e os requisitos do Conselho Federal de Medicina Veterinária. Faça o download agora

Caixa de transporte para gatos e cachorros

Antes de qualquer viagem, é bom que seja feita uma adaptação do pet com a caixa de transporte com antecedência. Veja dicas para ajudá-lo a se habituar: 

1) Deixe a caixa aberta em um local onde o seu bichinho tenha acesso;

2) Coloque água e comida dentro da caixa para que seja um local atraente e confortável;

3) Feche a porta quando seu animalzinho estiver dentro da caixa para aumentar o tempo de permanência;

4) Quando o seu pet entrar, fique longe para que ele se acostume com a sua ausência. 

Dicas para viagens mais tranquilas 

Alguns hábitos podem minimizar os imprevistos durante as viagens e fazer com que o seu momento de lazer em família seja tranquilo. A Guiavet listou 7 dicas para te ajudar:

1) Próximo à viagem, dê um banho no seu pet e apare as unhas;

2) No dia da viagem, dê alimentos mais leves, sendo a última refeição de 2 a 3 horas antes de sair de casa (principalmente se for em aviões);

3) Hidrate bem o seu pet;

4) Se seu bichinho for uma cão, não se e não esqueça de levá-lo para passear para que ele faça as necessidades;

5) Caso a viagem seja de carro, lembre de fazer paradas no trajeto;

6) Converse e brinque com seu animalzinho para tranquilizá-lo;

7) Em relação aos gatos, deixe o tapete higiênico dentro da caixa de transporte para que ele faça as necessidades sem se molhar.

Os tutores precisam ter uma atenção especial para animais braquicefálicos cardiopatas. Os cães desse grupo são caracterizados pela cabeça e focinho mais curtos. As principais raças de cachorros braquicefálicos são: Pug; Bulldog francês e inglês, Shih-Tzu e Pequinês. Durante o trajeto, verifique como eles estão e observe os sinais. 

Como viajar com gatos e cães de avião?

Cada companhia aérea possui restrições e modelos de avião específicos. Para viagens com animais, procure uma empresa em que as regras estejam de acordo com o que você quer para seu pet. Além disso, existe uma taxa para transportar os animais, com reserva feita com antecedência.

A caixa de transporte para cães e gatos usada em aviões é conhecida como “kennel”. Na hora de comprá-la, preste atenção nas medidas especificadas pelas regras da companhia aérea e que acomode o seu pet adequadamente. A kennel deve ser resistente, bem ventilada e com uma trava para impedir que o animal consiga sair.

O seu cão ou gato pode ser levado na cabine ou no bagageiro da aeronave, dependendo do peso dele. Na cabine, a caixa de transporte com seu bichinho ficará abaixo do assento. Já no bagageiro é preciso identificar o pet e a “kennel”. Para deixar seu pet mais tranquilo, você pode deixar uma peça de roupa com seu cheiro. Animais que viajarem no bagageiro serão colocados na área de retirada de bagagens ao chegar no destino e não na esteira.

Fique atento aos documentos dos pets que são necessários para viagens:

Nacionais

Carteira de vacinação: com comprovação da vacina antirrábica há mais de 30 dias e menos de 1 ano. Dados com nome do laboratório, tipo do imunizante e número da ampola são exigidos. Comprovantes de vacinação de campanhas não são aceitos, pois não possuem essas informações. 

Atestado de saúde animal: certificado feito por um médico veterinário há menos de 10 dias da viagem declarando que o pet está apto para a viagens.

Internacionais

Além dos mesmos documentos para viagens nacionais, mais exigências de outras vacinas e sorologia que devem ser pesquisadas pelo tutor e o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) ou Certificado Veterinário Internacional (CVI). Para a retirada do CVI é necessário o preenchimento do Requerimento para Fiscalização de Animais de Companhia, a carteira de vacinação e o atestado de saúde animal.

Confira as regras para as principais companhias aéreas brasileiras:

GOL

Peso: a partir dos 6 meses, cães e gatos com até 10kg (incluindo a caixa de transporte) podem viajar na cabine de passageiros. Animais com peso superior devem ir no compartimento de carga; 

Valores:  animais até 10kg (com a caixa de transporte): R$ 250 por trechos e por pet em voos domésticos; R$ 600 por trechos e por pet em viagens internacionais.

Animais até 30kg (com a caixa de transporte): R$ 850 por trechos e por pet em voos domésticos; R$ 1.100 por trechos e por pet em viagens internacionais.

Animais com mais de 30kg: consulte aqui.

LATAM

Peso: na cabide podem viajar cães e gatos que pesam 7kg junto com a caixa de transporte. Animais que pesam mais do que isso devem ir no bagageiro ou na opção “cargo”. O limite (animal + caixa) por rota é de 45kg. Já em voos para Argentina e Europa o máximo são 32kg.

Valores: animais até 7kg: R$ 250 para voos nacionais; nas viagens internacionais os preços vão de R$ 66 a R$ 1.329,28.

Os preços com mais de 7kg variam de acordo com a faixa de peso. Veja os valores neste link.

AZUL

A Azul só transporta animais na cabine. 

Peso: máximo de 7kg com a caixa de transporte; 

Valores: R$ 250 para voos nacionais; R$ 790 por trecho entre Brasil e Estados Unidos na classe econômica. Consulte aqui os valores para o setor business e em moedas estrangeiras. Os voos para destinos na América do Sul custam R$ 250.

Uma observação importante a ser feita é que cães-guia podem viajar na cabine fora do “kennel”, sendo mantidos sob controle com a guia, pois são treinados para isso. Os documentos para viagens nacionais e internacionais são necessários junto com o comprovante de treinamento.

Como viajar com gatos e cães de ônibus?

Antes de tudo, pesquise quais empresas aceitam transportar pets e quais são as suas condições. As companhias de ônibus costumam levar apenas animais de pequeno e médio porte, normalmente de até 10kg, dentro da caixa de transporte e podem cobrar a compra de passagem para que o pet fique na poltrona ao lado. Algumas permitem a viagem no colo do tutor.

Os documentos necessários para viajar de ônibus são: carteira de vacinação do bichinho de estimação e o atestado de saúde animal que deve ser emitido pelo médico veterinário 15 dias antes da viagem.

‍Qual a legislação para viajar com os pets de carro?

O atestado de saúde animal e a carteira de vacinação também são necessários nos trajetos de carro. A viagem deve ser muito bem planejada pensando no bem-estar do seu companheirinho. Paradas a cada 2 horas são interessantes para o pet conseguir fazer suas necessidades e sair um pouco do veículo.

No Código de Trânsito Brasileiro, existem algumas regras que precisam ser respeitadas, como: 

- Art. 252: cães e gatos não podem ficar nos braços e no colo do condutor;

- Art. 235: não se deve colocar o pet fora do veículo (bagageiro, teto).

Não existe um número especificado por lei de quantos animais podem ser levados dentro do carro, mas isso cai no bom senso, pois a viagem deve ser tranquila para os bichinhos. Além disso, durante a viagem, os pets devem ficar apenas no banco de trás do veículo, de acordo com o número de cintos de segurança para uma maior segurança para todos. Você pode usar somente o cinto de segurança (se seu bichinho se adaptar bem), grade divisória ou a caixa de transporte.

A saúde do seu pet precisa estar em dia para viajar. Pensando nisso, a GuiaVet pode te ajudar no controle das datas de vermífugos, vacinas, antipulgas e carrapatos. E o melhor: é gratuito! Cadastre o seu pet e nos envie uma mensagem!

Postado em
December 19, 2022
na categoria
Utilidades

Mais artigos em:

Utilidades

ver todos