O



s cães e gatos tem conjuntivite com muita frequência, sendo a maior causa de atendimento oftalmológico clínico. A conjuntiva é um tecido que fica sobre a esclera, a parte branca do olho. Quando inflama, falamos em conjuntivite. Porém, mais importante do que diagnosticar a conjuntivite, é descobrirmos sua causa. Caso contrário, o animal irá ser medicado para a conjuntivite e, quando o tratamento terminar, o problema irá voltar, uma vez que a causa não foi descoberta. A conjuntivite acaba sendo, na maioria das vezes, o sintoma de um problema maior. 

A principal causa de conjuntivite nos cães é a doença do olho seco, chamada de ceratoconjuntivite seca. Além de conjuntivite, o animal com esta doença fica com muita secreção (remela) nos olhos, muitas vezes de coloração amarela ou esverdeada. Essa manifestação clínica é um sinal de infecção nos olhos e deve ser rapidamente investigada. Porém, acontece muitas vezes do tutor tratar o problema com colírio para conjuntivite e infecção (sem investigar a causa disso). O sintoma resolve, mas, assim que ele para de usar a medicação, o problema volta. É extremamente importante que o animal seja avaliado com critério, fazendo exames oftalmológicos específicos para diagnosticar corretamente o problema e, então, ser tratado com medicações específicas, a fim de evitar que a conjuntivite e a secreção fiquem voltando. Como se não bastasse, a doença do olho seco pode causar cegueira quando não tratada! Ela costuma causar irritação nos olhos, coceira, dor e desconforto ao animal. 

Existem outras causas de conjuntivite nos cães e gatos, como doenças infecciosas: leishmaniose e doença do carrapato, por exemplo (sim, gatos também podem ter leishmaniose!). 

Além disso, o animal pode ter com úlcera de córnea, que é uma lesão grave na superfície do olho do animal que, muitas vezes, não é vista a olho nu. O glaucoma é outra importante causa de conjuntivite, devendo ser rapidamente diagnosticado, uma vez que pode causar cegueira irreversível em um curto intervalo de tempo. Os animais também podem ser acometidos com tumores oculares ou alterações anatômicas de cílios ou pálpebras, o que também causa conjuntivite. Cães da raca shih-tzu, por exemplo, tem predisposição genética a ter cílios fora do local normal, o que causa grande desconforto a eles. Já o sharpei tem com muita frequência alterações palpebrais, ou seja, a pálpebra não se desenvolve corretamente e isso é outra importante causa de conjuntivite, úlcera e dor, podendo também levar a cegueira. Vale lembrar que os problemas supracitados podem acometer cães e gatos de qualquer raca. A catarata também é muito comum nos pets, acometendo principalmente cães. Ela é uma doença séria que deve ser tratada, pois pode causar, além de conjuntivite, cegueira, inflamação e, então, dor.    

Já nos gatos, a maior causa de conjuntivite é a presença de microrganismos no olho, principalmente herpesvírus e clamídia (não são zoonoses, ou seja, não passam para o ser humano). Nestas situações, além da conjuntivite o felino costuma ter lacrimejamento e/ou epífora, ou seja, excesso de produção da lágrima ou obstrução das vias lacrimais, respectivamente. Pense no olho como uma pia: lágrima é constantemente produzida, como se fosse a torneira aberta. Existe um ducto que sai do canto da pálpebra e drena a lágrima até o focinho e a boca do animal, como se fosse o ralo da pia. Se o ducto obstrui, é como se eu estivesse tampando o ralo dessa pia, ou seja, a água vai transbordar. Por isso alguns animais ficam com a lágrima escorrendo para fora do ducto, deixando seu rosto úmido. Isso é muito comum em cães e gatos e costuma estar associado a um quadro de conjuntivite. Mais uma vez, não adianta tratar apenas a inflamação da conjuntiva, mas a causa disso.

O veterinário oftalmologista está capacitado para fazer o correto diagnóstico e tratamento mais indicado para seu animal, a fim de gerar conforto e bem-estar do seu pet!


Postado em
December 14, 2021
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos