V

ocê já se perguntou como garantir a segurança do seu amado cãozinho ou gatinho? Em um mundo cheio de aventuras e desafios, é crucial adotar medidas proativas para manter nossos peludos seguros. Neste artigo, vamos explorar a inovação que está revolucionando a forma como cuidamos de nossos pets: os microchips, e os motivos que levam tutor de cães e gatos a buscar esta tecnologia.

O que são Microchips para Pets?

Imagine a situação em que você esquece a porta da sua casa aberta, ou deixa seu pet sob os cuidados de alguém, e por um minuto de distração você não consegue mais encontrá-lo. É assustador pensar em tudo o que pode acontecer quando nosso gato ou cachorro fugir, não é mesmo?
Uma forma de reduzir os riscos de não mais encontrar nossos animais é utilizar da tecnologia a nosso favor. Microchips para pets são dispositivos pequenos e implantáveis que contêm informações cruciais sobre seu animal de estimação. Esses minúsculos dispositivos são do tamanho de um grão de arroz e são feitos de um material inerte, que não causa alergias e raramente causam algum efeito local, e são implantados sob a pele do seu pet, geralmente na região da nuca. 

Cada microchip contém um número único, que não se repete para dois animais, e está vinculado a um banco de dados onde poderá ser consultadas informações sobre o animal, como seu nome, idade, histórico médico e os detalhes do tutor. O objetivo do microchip é criar uma identificação única e uma ferramenta para que tutores possam manter todas as informações importantes junto ao pet caso ele se perca.

Como Funcionam os Microchips?

O processo de implantação do microchip em cães e gatos é tão simples quanto eficaz, e não causa grandes incômodos ao seu pet, garantindo seu conforto.

Para implantação do microchip, um médico veterinário utiliza uma seringa especial, e insere o microchip sob a pele em uma aplicação rápida e única. Este procedimento é praticamente indolor, da mesma forma que acontece com uma vacina. Por este motivo, não é necessária sedação, e não precisamos nos preocupar com a anestesia ou tempo de recuperação, tornando-o seguro e conveniente para pets de todas as idades.

Uma vez implantado, o microchip permanece fixo no local onde foi colocado, não causando desconforto ou interferência no dia a dia do seu pet. Desta forma, é como se tivéssemos dando a eles um pequeno distintivo de identificação invisível, que estará sempre pronto para ser escaneado quando necessário.

O microchip é um dispositivo eletrônico, revestido por uma camada de vidro inerte, e não precisa de baterias para poder operar. Apesar de existirem modelos diferentes, com tecnologias variadas (algumas inclusive que permitem a leitura por celulares com a tecnologia NFC), a maior parte dos microchips disponíveis no mercado precisam de um leitor específico (com tecnologia RFID) para poder ser feita a leitura. Além disso, eles podem também variar de tamanho, existindo no mercado três categorias diferentes de microchip: o microchip tradicional (com dimensões de 2x12mm), o Nanochip (1,4x8mm) e o minichip (1,25x7mm). Nos três casos, a tecnologia envolvida é a mesma, variando apenas no tamanho e no conforto durante a aplicação do animal.

A maioria das clínicas veterinárias possui um leitor capaz de identificar o número do microchip e os dados de identificação do animal. Os microchips não precisam de bateria e, apesar do que a maioria das pessoas acreditam, não podem ser rastreados por GPS. Porém, devido a sua baixíssima taxa de rejeição e problemas, é uma excelente ferramenta para que pais de pet possam deixar seus animais mais seguros. 

Mitigando os Riscos de Perda

A perda de um animal de estimação é uma experiência angustiante para qualquer tutor. Os microchips oferecem uma camada adicional de segurança, agindo como uma rede de segurança que aumenta significativamente as chances de reunir-se com seu pet, pois oferece a chance de ter seus dados sempre juntos do seu animal.
Porém, poucas pessoas conhecem a tecnologia e, com isso, podem não saber que o animal é microchipado ao encontrá-lo sozinho pelas ruas. Por isso, para garantirmos a proteção adequada do seu pet, é válido associar o microchip com outras ferramentas que podem ajudar no caso de uma fuga. Um exemplo de associação que pode ser feita é o uso de coleiras com placas de identificação, contendo o nome do seu pet e o seu contato, ou até mesmo a identificação de que ele possui o microchip implantado para caso a pessoa que o encontre possa buscar pelas suas informações adicionais e devolvê-lo em segurança.

A Importância da Atualização de Dados

Um aspecto crucial do uso efetivo dos microchips é a atualização constante das informações no banco de dados. Garantindo que todas as informações sejam sempre atuais, conseguimos facilitar o contato com o tutor caso o animal fuja e seja encontrado. Afinal de contas, não adianta ter o microchip, mas na hora que ele se fizer útil, não ter as informações mais cruciais sobre o animal e seu tutor, não é mesmo?
Sempre que houver mudanças nos detalhes de contato ou endereço do tutor, é vital atualizar essas informações nos bancos de dados em que ele estiver registrado. Isso garante que, em caso de emergência, as autoridades ou clínicas veterinárias possam entrar em contato rapidamente e realizar a devolução do seu pet em segurança.

Além disso, caso seu animal seja encontrado, manter as informações de saúde sempre em dia pode evitar que ele passe por procedimentos desnecessariamente, como a revacinação ou até mesmo cirurgias. Se ele tiver doenças pré-existentes, essas informações também poderão garantir que ele tenha acesso ao tratamento de forma mais rápida caso seja reencontrado.

Microchips para Gatos: Uma Necessidade Especial

Gatos, conhecidos por sua natureza curiosa e exploradora, podem se beneficiar ainda mais dos microchips. Diferentemente dos cães, que frequentemente usam coleiras e guias, gatos podem escapar facilmente e se perder. Os microchips oferecem uma solução discreta e eficaz para proteger nossos amigos felinos, proporcionando paz de espírito aos tutores.

Roubo de animais de estimação: como o microchip poderá ser útil

Infelizmente, cada vez mais são comuns os casos em que animais, principalmente de raças com alto valor comercial no mercado, são furtados para poderem ser revendidos.
Nestas situações, mesmo que o animal seja encontrado, pode ser difícil conseguir provar quem é o verdadeiro tutor do animal, visto que os ladrões poderão alegar ser apenas um animal parecido.
Sendo assim, considerando que o microchip tem um valor único e que não poderá ser repetido, o uso de microchips pode ser uma evidência irrefutável sobre quem é o verdadeiro tutor do animal, podendo evitar longos processos e desgastes para comprovar que este animal realmente pertence à sua família. 

Considerações Finais

Em um mundo onde a segurança dos nossos pets é uma prioridade, os microchips surgem como uma ferramenta essencial para que todos os tutores que prezam pela guarda responsável possam complementar a segurança do animal. Ao adotar essa tecnologia, não apenas aumentamos as chances dos nossos animais de estimação serem recuperados mais rapidamente numa situação de fuga ou roubo, mas também promovemos um ambiente mais seguro e saudável para eles.

Lembre-se sempre de que a prevenção é a chave para garantirmos que nossos pets estejam seguros e protegidos ao nosso lado. Ao investir em um microchip para seu pet e nos cuidados básicos de saúde e prevenção de fugas, você está tomando uma medida proativa para proteger seu fiel amigo. 

O aplicativo Guiavet possui, dentre as informações que você poderá cadastrar gratuitamente do seu pet, o número de microchip associado a ele. Além disso, o aplicativo permite que você mantenha todos os registros sobre a saúde do seu pet e crie lembretes dos protocolos de saúde que são importantes para ele. Clique aqui para baixar gratuitamente seu aplicativo e faça o cadastro do seu pet!

Postado em
November 7, 2023
na categoria
Utilidades