A c

onvivência pacífica entre animais de estimação, como cães e gatos, é um objetivo comum de muitos tutores. Porém, brigas entre animais podem ocorrer e acabar criando situações estressantes para todos os envolvidos. Se você já passou por uma situação como essa, e quer saber como evitar este problema, continue a leitura. Neste artigo, abordaremos estratégias baseadas em evidências para evitar conflitos entre animais de estimação, incluindo cães e gatos, e discutiremos as principais causas dessas brigas. 

Compreendendo as Causas das Brigas Entre Animais 

Antes de entender como agir no caso de brigas entre animais, é importante entendermos os motivos que podem causar uma briga entre cães ou entre cães e gatos. Por isso, baseado em informações encontradas na literatura, listamos os 10 principais motivos para as brigas entre animais:

Causas de Brigas entre Cães 

Nem sempre conseguimos entender com facilidade os motivos que levam para uma briga entre cães. Mas podemos conhecer os principais motivos para identificar os conflitos. Veja abaixo:

1 - Territorialidade: Os cães são naturalmente territoriais, e a defesa do espaço pessoal pode levar a brigas entre cães. Tanto machos quanto fêmeas podem ser agressivos quanto ao seu território. 

2 - Recursos Limitados: A competição por recursos como comida, brinquedos e atenção do dono pode ser uma fonte de brigas entre cães. É importante ressaltar aqui que cães podem desenvolver “posse por recurso”, que é o comportamento que vemos quando o cão rosna e ameaça morder quando alguém tenta tocar um objeto ou alguém (normalmente o tutor em que ele é mais próximo). É importante entender todo o contexto da situação em que ele apresenta comportamento agressivo para poder entender que para os cães o carinho, a atenção ou o local no sofá preferido do tutor, por exemplo, podem ser classificados como “recursos”. 

3 - Dominância: A teoria da dominância, que era amplamente aceita no passado, não é mais tão aceita entre os profissionais que estudam e trabalham com o comportamento dos animais. No entanto, como vimos no item anterior, a competição por recursos ainda pode desencadear brigas entre cães. A teoria pregava que, através da agressividade, os cães dentro de uma matilha se organizavam e, assim, o cão dominante se tornava o líder ou o cão “alfa”, e era reconhecido e respeitado. Porém, hoje sabemos que cães não são agressivos por conta da organização da hierarquia na matilha, sendo a maioria esmagadora dos casos de agressividade nos cães causada devido a um trauma/medo ou predisposição de algumas raças. O fato é que aprendemos ao longo dos anos a respeitar as particularidades e entender melhor o comportamento dos cães, desenvolvendo técnicas incríveis e funcionais para lidar com a agressividade. 

4 - Falta de Socialização: A socialização inadequada entre cães ou a falta de ter contato com outros cães desde filhote pode tornar um cão mais propenso a ter reações agressivas quando se encontrar com outros animais após adulto, levando a episódios de brigas entre cães.

5 - Medo ou Insegurança: Os cães podem se tornar agressivos quando se sentem ameaçados, com medo ou inseguros, e com isso morder pessoas e outros animais que se aproximarem dele. 

6 - Problemas de Saúde: A dor ou o desconforto físico devido a problemas de saúde também podem ser um motivo para que um animal tenha uma reação agressiva. 

Causas de Brigas entre Cães e Gatos 

No caso de brigas entre cães e gatos, os motivos costumam ser diferentes dos listados acima, podendo ser eles:

1 - Instinto de caça: Cães têm um instinto predatório mais forte, isso é, um instinto de caça mais apurado. Isso pode levá-los a perseguir e atacar gatos, como faria com presas. 

2 - Territorialidade: Gatos são animais territorialistas, assim como os cães, e a introdução de um novo cão/gato na casa pode ser vista como uma ameaça ao território, levando a episódios de brigas entre cães e gatos. 

3 - Falta de Introdução Adequada: Quando apresentamos um novo gato a um cão ou vice-versa, podemos causar medo e levar a episódios de brigas entre cães e gatos. Não force uma aproximação entre os animais se você perceber que um deles não está confortável e apresentar sinais de estresse. Uma outra forma de evitar as brigas entre gatos e cães é garantir que os dois tenham espaços próprios e separados e que permitam se “conhecer” a distância. 

4 - Comportamentos Mal Interpretados: O comportamento brincalhão de um gato pode ser mal interpretado por um cão e vice-versa, levando a brigas entre cães e gatos. Por se tratarem de espécies diferentes, eles podem precisar de um tempo para se adequarem ao modo do outro se expressar. 

Estratégias para Evitar Brigas Entre Animais 

Agora que já sabemos as principais causas de briga entre cães, podemos interpretar o por que a briga acontece e atuar reduzindo o risco de novos episódios de briga acontecerem.

Prevenindo Brigas Entre Cães 

Entre os cães, as principais dicas que podemos seguir para minimizar as brigas são:

1 - Socialize seu cão da forma adequada: A socialização adequada desde filhote é fundamental. Expor o cão a diferentes pessoas, animais e ambientes ajuda a desenvolver comportamentos sociais positivos. Após o término do protocolo vacinal, seu filhote já poderá explorar novos ambientes e interagir com outros cães e novas espécies. Abuse dos passeios regulares! 

2 - Treine seu cãozinho para obediência: Ensinar comandos básicos, como "senta" e "fica," ajuda a manter o controle em situações potencialmente tensas. A obediência, por mais básica que seja, intensifica o vínculo entre você e o seu cãozinho, sendo os comandos básicos muito úteis em situações de socialização. 

3 - Respeite o espaço pessoal do seu cão: Garanta que cada cão tenha seu próprio espaço e mantenha recursos como comida e brinquedos separados. 

4 - Supervisão Constante: Esteja atento às interações entre cães e intervenha se notar sinais de tensão ou agressão. 

Prevenindo Brigas entre Cães e Gatos 

Quando falamos da convivência entre cães e gatos, algumas dicas podem ser úteis para minimizar os atritos e brigas. Veja a seguir:

1- Faça a Introdução Gradual dos Animais: Introduza o cão ao gato, ou vice-versa, de maneira gradual e monitorada. Permita que os animais se acostumem com o cheiro e a presença uns dos outros antes de permitir interações diretas. 

2- Crie Zonas de Segurança: Crie espaços seguros para o gato, como prateleiras altas ou quartos separados, onde ele possa escapar do cão, se necessário. 

3- Treinamento de Reforço Positivo: Reforce positivamente os comportamentos amigáveis e pacíficos dos animais, recompensando-os com elogios e petiscos. 

Como Separar uma Briga com Segurança 

Em caso de briga entre animais, é essencial saber como separá-los com segurança: 

1 - Nunca use as mãos: Evite colocar as mãos entre os animais em briga para separá-los, pois você pode ser mordido acidentalmente. 

2 - Use objetos para separar brigas: Jogue água nos animais ou use objetos, como um escudo de papelão, para separá-los. Nunca tente usar a força física direta. 

3 - Chame ajuda: Se não conseguir separar a briga dos animais sozinho, peça ajuda a alguém que possa ajudar a segurar um dos animais. 

4 - Verifique Ferimentos: Após a briga, verifique se algum dos animais está machucado e leve-os ao veterinário imediatamente, se necessário. Lembre-se: mordida de cães e gatos são extremamente contaminadas, e por mais que o ferimento em si não aparente ter sido grave, em caso de dúvidas consulte um médico veterinário. 

Conclusão 

Evitar brigas entre animais de estimação requer compreensão das causas envolvidas, socialização adequada e treinamento eficaz. A introdução gradual entre cães e gatos, o fornecimento de zonas de segurança e o reforço positivo também são estratégias eficazes para promover uma convivência harmoniosa. Em caso de conflitos, é fundamental saber como separar a briga dos animais com segurança e verificar possíveis ferimentos. 

Lembre-se de que cada animal é único, e a prevenção de brigas requer paciência e consistência. Se você enfrentar desafios significativos na convivência entre seus animais, é aconselhável procurar a orientação de um profissional de comportamento animal, podendo ser ele um adestrador ou médico veterinário comportamentalista. O bem-estar de seus companheiros de quatro patas é uma responsabilidade que vale a pena investir tempo e esforço para garantir. 

O Guiavet é um aplicativo gratuito que, além de armazenar as informações do seu pet e te ajudar a lembrar de renovar os seus protocolos de saúde, permite que você se conecte a vários profissionais que podem te ajudar com a saúde e o bem estar do seu animal. Clique aqui e baixe gratuitamente.

Referências

Dunbar, I., Abrantes, R., & Knight, S. (2008). "Obedience training affects the psychobiological stress systems in a positive way in pet dogs." The Veterinary Journal, 175(2), 117-127. 

Rooney, N. J., & Cowan, S. (2011). "Training methods and owner-dog interactions: Links with dog behavior and learning ability." Applied Animal Behaviour Science, 132(3-4), 169-177. 

O'Heare, J. (2003). "Canine neuropsychology." DogPsych Publishing. Overall, K. L. (2013). "Manual of clinical behavioral medicine for dogs and cats." Elsevier Health Sciences. 

McGreevy, P., & Masters, S. (2008). "Risk factors for separation-related distress and feed-related aggression in dogs: Additional findings from a survey of Australian dog owners." Applied Animal Behaviour Science, 109(2-4), 320-328. 

Case, L. P., Daristotle, L., Hayek, M. G., & Raasch, M. F. (2017). "Canine and feline nutrition: A resource for companion animal professionals." Elsevier Health Sciences. Ziv, G. (2017). "The effects of using aversive training methods in dogs—A review." Journal of Veterinary Behavior: Clinical Applications and Research, 19, 50-60

Postado em
October 24, 2023
na categoria
Comportamento