N

atal é tempo de reunir toda a família em volta da mesa. Também é o momento de resgatar as receitas tradicionais que são passadas de geração em geração para celebrar a data. Quem não pode ficar de fora da comemoração são os bichinhos de estimação da casa. Porém, os tutores precisam se atentar à alimentação dos pets durante as ceias das festas de fim de ano. Muitos ingredientes usados nos pratos típicos são tóxicos e podem fazer mal à saúde aos animais. 

Pensando nisso, fizemos uma lista de alimentos que são fáceis de serem encontrados nas confraternizações de Natal e Ano-Novo e que não podem ser oferecidos aos bichinhos. E para facilitar a rotina da casa, também vamos ensinar 3 receitas de petiscos para gatos e cachorros para que você e o seu bichinho possam aproveitar as festas juntos e de forma saudável. 

Alimentos tóxicos para cães e gatos

Com a variedade de receitas expostas na mesa, as delícias de fim de ano podem ser uma tentação para humanos e animais. Porém, diferentemente da dieta dos adultos e crianças, os bichinhos podem sofrer diversas reações caso comam alimentos que são comumente oferecidos nessas ocasiões. 

Veja abaixo uma lista de alimentos tóxicos para cães e gatos

- Chocolate: o ingrediente é o queridinho da maioria das sobremesas de família. Porém, o chocolate possui a teobromina, que também faz mal aos pets. Após ingerirem o alimento, os animais podem sofrer alterações na frequência cardíaca e arterial, além de apresentar um comportamento mais agitado. 

- Macadâmia: também é capaz de causar intoxicação de cães e gatos. O consumo desse tipo de castanha pode gerar perda de movimentos das patas traseiras e gerar movimentos involuntários, além de vômito e diarreia.

- Uva-passa e uva: outro alimento que é cara do Natal é a uva-passa. Afinal, ela é um dos ingredientes de um dos produtos mais tradicionais da época, o panetone. Mas cuidado: a uva-passa é tóxica para cães e gatos, assim como a uva in natura. Ambas afetam a função renal, podendo levar a um quadro mais grave de insuficiência dependendo da quantidade ingerida.

- Ossos de ave cozidos: pode parecer uma cena natural dar aos cãozinhos os ossos de aves que sobram das ceias. Porém, eles são muito prejudiciais à saúde dos pets. 

O cozimento desse tipo de alimento altera a estrutura molecular do colágeno do osso. Com isso, ele fica mais duro para partir e pode gerar risco de perfuração gastrintestinal. O cachorro também pode ter dificuldade de digeri-lo e sofrer alguma obstrução. 

- Cebola e cebolinha: muito utilizado como temperos de quase todos os pratos natalinos e de Ano-novo, esse grupo pode provocar quadros graves de anemia nos bichinhos. Isso porque eles contêm a substância tiossulfato, tóxica para cães e gatos, e que pode atacar os glóbulos vermelhos. 

Frutas permitidas para cães e gatos 

Se você ficou preocupado com a lista de alimentos que podem fazer mal ao seu bichinho, optar por opções naturais é um bom caminho para uma dieta saudável. Confira algumas frutas permitidas para cães e gatos:

- Morango;

- Banana; 

- Abacaxi;

- Kiwi;

- Melancia;

- Melão;

- Jabuticaba;

- Laranja;

- Mamão;

- Coco;

- Framboesa;

- Amora; 

- Maçã; 

- Ameixa; 

- Pêssego; 

- Damasco; 

- Manga;

- Pera; 

- Goiaba; 

- Caju. 

Receitas de petiscos para gatos e cachorros

Para ter confraternizações de fim de ano em que toda a família possa participar, inclusive o bichinho de estimação, uma alternativa para facilitar a rotina é preparar receitas saudáveis para as noites de festas. A médica veterinária Ana Luiza Leroy, que trabalha com nutrição de pets, separou 3 receitas de petiscos para gatos e cachorros. Confira a lista de ingredientes e o modo de preparo de cada um:

Picolé de frutas

1 xícara de morango picado;

Água de côco;

Folhinhas de hortelã.

1) Pique os morangos. Já as folhinhas de hortelã podem ser usadas inteiras ou picadas. Coloque os dois em uma forminha de picolé ou de gelo. 

2) Complete com água de coco ou água filtrada até o limite da forminha. 

3) Leve ao freezer até congelar.  

O morango pode ser substituído por abacaxi, que tem uma substância chamada bromelina, responsável em trazer conforto gástrico. O hortelã também ajuda na saúde digestiva. A água de côco pode ser utilizada em caixinha, sempre optando pelas mais naturais, a do próprio côco in natura ou até mesmo água filtrada. Uma dica é adicionar um pouco de iogurte natural ao picolé. 

Almôndega de sardinha 

500g de batata doce cozida sem casca; 

50g de brócolis cozido; 

1 colher de sopa de óleo de soja; 

2 latas de sardinha (sem o óleo);

1 a 2 colheres de sopa de salsinha fresca picada ou “crespa” (opcional).

1) Amasse a batata-doce com um garfo até virar uma massa.

2) Já com a batata-doce fria, coloque a massa em um recipiente maior. Adicione as sardinhas, o brócolis e o óleo de soja. Com uma colher, misture todos os ingredientes até virar uma massa homogênea. 

3) Pique a salsinha fresca e adicione à massa.

4) Faça bolinhas em formato de almôndegas. Coloque-as em uma vasilha de vidro e tampe para preservar as características dos ingredientes. Elas duram até três dias se conservadas na geladeira. 

A batata-doce pode ser substituída por mandioquinha cozida. Em vez do brócolis, pode ser usado cenoura ou abobrinha. Caso os petiscos sejam para pets gestantes ou pacientes com problemas renais, os tutores não devem usar a salsinha. Ela pode ser trocada por coentro, tomilho, orégano e manjericão. 

Uma boa opção é levar a almôndega para assar em uma air fryer. Assim, elas ficarão crocantes.  

Cookie de banana 

1 banana-nanica madura;

1 xícara de farinha de aveia; 

1 colher de chá de canela em pó.

1) Em um recipiente, amasse a banana com um garfo. Coloque a farinha de aveia e, em seguida, a canela em pó. Misture bem todos os ingredientes até que vire uma massa homogênea.

2) Em uma assadeira antiaderente ou com papel manteiga, coloque porções da massa com uma colher. Molde-as em formato de cookie. 

3) Leve os cookies ao forno pré-aquecido a 180 graus e deixe assar por 15 minutos.

4) Espere esfriar e sirva para seus bichinhos. 

A farinha de aveia pode ser substituída pela de arroz. A canela é opcional, mas não deve ser usada em petiscos para cadelas e gatas grávidas. Caso você queira, também pode adicionar um ovo e ir ajustando a quantidade de farinha. 

Untar a forma ou o papel manteiga com um pouco de óleo pode fazer com que os cookies saiam com mais facilidade. 

A veterinária Ana Luiza Leroy fez o passo a passo das 3 receitas em nosso perfil do Instagram, e você pode assistir aos vídeos neste link. A profissional faz parte da nossa rede de parceiros. Clientes da Guiavet têm descontos exclusivos na consulta. Baixe agora o aplicativo.

Postado em
December 21, 2022
na categoria
Alimentação

Mais artigos em:

Alimentação

ver todos