V

ocê já viu um carrapato de perto? Então você sabe, assim como nós, o quanto eles são perigosos. Você sabia que esses pequenos parasitas vão muito além da coceira? Elas podem ser fatais pro seu cãozinho não só de uma, mas duas formas diferentes!


Se você nunca ouviu falar, te apresentamos aqui a doença do carrapato. O diagnóstico pode ser um pouco confuso, já que os sintomas são similares, e o nome “doença” dá a entender que se trata de uma só, mas essa é simplesmente uma nomenclatura popular e o que você realmente precisa saber é que essa doença parasitária tem várias vertentes. Vamos te mostrar as 5 mais comuns.

A primeira se chama erliquiose. Ela começa no momento da picada, quando uma bactéria que vive no carrapato entra na corrente sanguínea do nosso amigo peludo. Os sintomas evoluem, geralmente se mostram partir do 7º a 21º dia de contágio, e assim como todas as doenças associadas ao carrapato podem incluir: febre, manchas avermelhadas e sangramento nasal ou na urina, além de perda de apetite, anemia, inchaço das patas, mucosas pálidas e muito cansaço.

Quando tratada, os cães entram no que é chamado fase subclínica na qual os sintomas reduzem consideravelmente. Mas a bactéria ainda estará ali e o sistema imunológico canino pode tentar se livrar dela por anos. Quando ele não consegue, duas coisas podem acontecer: ou a erliquiose se torna uma doença crônica ou o organismo consegue debelar a doença.


A segunda vertente é a babesiose, que surge a partir de um protozoário que usa essa mesma espécie de carrapato - Rhipicephalus sanguineus - como vetor. Ela também pode se tornar uma doença crônica.

A terceira, chamada tanto de doença de Lyme quanto de borreliose, é transmitida pelo carrapado Ixodes e causada pela bactéria borrelia. Os sintomas se mantém os mesmos e essa doença também pode infectar humanos - e até alguns animais silvestres - mas apenas se eles também forem picados. Logo, seu cãozinho não é um vetor! E nesse caso temos boas notícias: existe vacinação tanto para humanos quanto para cães e gatos.

Já a quarta é conhecida como anaplasmose. Pode ser causada pelos anaplasmas phagocytophilum ou platys, através dos carrapatos, e é considerada uma doença silenciosa já que pode ser assintomática ou causar sintomas muito leves. Isso é bem preocupante, especialmente a longo prazo.

E a quinta vertente se chama febre maculosa. A vilã da vez é uma bactéria chamada riquétsia que tem um funcionamento parecido com a doença de Lyme, ou seja, pode infectar humanos, cães, gatos e outros animais silvestres. E assim como grande parte dos males causados por carrapatos, tem tratamento, mas não tem vacina.

E nós detestamos trazer más notícias, mas se não tomarmos cuidado os carrapatos podem virar a sua casa - e a vida do seu melhor amigo - de cabeça pra baixo. Você não vai permitir que isso aconteça, certo? Mesmo que em alguns casos os sintomas possam demorar para aparecer, é importante cuidar da saúde e do bem estar do seu bichinho. Principalmente nas estações mais quentes, que é quando os carrapatos se proliferam mais.

E se você já está pronto para fazer algo a respeito, prevenção é o melhor ataque! Você pode usar coleiras anti-carrapatos, sprays ou alguma outra “arma” à sua escolha. Pra te ajudar nessa luta, aqui vai um guia sobre “Como Prevenir Pulgas e Carrapatos".

Ah, e carrapatos, guardem nossas palavras: vocês podem até começar algumas batalhas ao longo dos anos. Mas vocês nunca vencerão a guerra!

Postado em
April 8, 2021
na categoria
Saúde

Mais artigos em:

Saúde

ver todos