V

ocê já ouviu falar no dia do cachorro? Sim, ele existe. A data comemorativa foi criada nos Estados Unidos, como National Dog Day, em 26 de agosto. Logo,  tornou-se o Dia Mundial do Cachorro, instituído com a intenção de ampliar o debate sobre o abandono, maus-tratos e direitos caninos, além de colocar em pauta assuntos como castração, adoção e avanços na medicina veterinária. Quer saber tudo sobre esse dia? Leia aqui. 

Feliz dia do amigo cachorro!

Além de assuntos importantes, o dia do cachorro pode ser uma forma de se divertir com seu melhor amigo, fazer passeios, brincadeiras e presentear com aquele petisco que ele adora. Mas você sabe por que o cão é conhecido como melhor amigo do ser humano?

O ditado popular tem origem incerta: acredita-se que o comportamento canino seja o principal fator que os fez ganhar essa fama, já que são animais companheiros, fiéis e amorosos com os humanos. Claro cada cão tem sua personalidade, que pode ser moldada de acordo com o ambiente em que vive, situações pelas quais tenha passado e características inatas da espécie. Mas de modo geral, são conhecidos por serem afetuosos e dependentes dos humanos com quem vivem. 

A convivência com os cachorros perdura há milhares de anos, tendo início na sua domesticação.  Há várias hipóteses sobre como ela teria ocorrido. A mais aceita é a que os cães são descendentes dos lobos cinzentos, da espécie Canis lupus,  que  se aproximavam dos humanos atraídos pelos restos de alimentos nos acampamentos. 

A partir desse contato inicial, os lobos passaram a ficar cada vez mais próximos dos humanos, criando comportamentos sociais entre as espécies. O comportamento natural dos cães facilitou o processo de domesticação, já que  são animais gregários, que criam comunidades dotadas de hierarquia, em que o trabalho colaborativo favorece o todo. A caça em conjunto com os humanos era uma das principais atuações dos lobos nos primórdios da domesticação, predispondo o desenvolvimento da interação, no qual as duas espécies eram beneficiadas, a ponto de surgir um companheirismo entre humanos e lobos.

Outra hipótese é que os lobos ameaçavam constantemente os acampamentos humanos, fazendo com que os animais adultos fossem mortos. No local, restavam apenas os filhotes, que eram facilmente atraídos em busca de alimentos e passaram assim a conviver com o ser humano. Independentemente da origem dessa relação, nós sabemos que os cães são ótimos companheiros e merecem o título de nosso melhor amigo. 

Dia mundial do cachorro: conscientização sobre maus-tratos

Apesar de serem seres maravilhosos e só alegrarem nossas vidas, os cachorros ainda sofrem com a maldade humana. São facilmente encontrados abandonados nas ruas, passando fome e sede e sofrendo com maus-tratos e negligências.

O dia mundial do cachorro é uma forma de conscientizar a população a respeito do bem-estar desses animais, incentivando a adoção responsável e a castração,  um meio efetivo de controle da população canina por meio da inviabilização da reprodução. 

Aproveite o dia do cachorro com seu amigo  

Que tal aproveitar o dia mundial do cachorro e curtir com seu amigo peludo? Aproveite as inúmeras opções e se divirta. Você pode:

Fazer caminhadas ou corridas: atenção na hora do passeio. Procure sair nos horários mais frescos do dia, como pela manhã e no final do dia, e não descuide da guia do seu cão, pois animais soltos podem facilmente se envolver em acidentes e brigas. 

Brincadeiras: ótima opção para se divertir e realizar brincadeiras com seu peludo. Tem muitas opções: arremessos de bola, frisbee, cabo de guerra, entre outras. 

Petiscos: aproveite e presenteie seu amigo com petiscos. Ele vai adorar, mas cuidado para não exagerar, hein? 

Dicas para cuidar do bem-estar do animal

O bem-estar animal foi definido por Donald Broom, em 1986, como “o estado de um indivíduo em relação às suas tentativas de se adaptar ao ambiente em que vive”. Em síntese, o bem-estar se refere ao estado do animal como resultado do ambiente em que vive.. Quando desfavorável, esse ambiente acarreta desconforto, estresse e possivelmente um mau estado de saúde. 

O conceito é norteado por cinco princípios de liberdade:

  1.  Livre de fome e sede: o animal deve ter acesso à comida e água em quantidade, frequência e qualidade ideais para consumo. Tal tópico já nos remete aos animais em situação de rua, que dificilmente têm acesso à alimentação adequada, e a animais negligenciados, que vivem com nutrição pobre e escassa, ficando claro que não possuem bem-estar.
  2.  Livre de desconforto: o ambiente em que eles vivem deve ser adequado a cada espécie, com condições de abrigo e descanso adequado. Mais uma vez, cães em situação de rua e negligenciados podem ser usados como exemplo, já que ficam expostos à chuva, vento e sol, sem condições de se abrigarem. 
  3. Livre de dor, doença e injúria: os responsáveis pela criação devem garantir prevenção, rápido diagnóstico e tratamento adequado aos animais.
  4. Liberdade para expressar os comportamentos naturais da espécie: os animais devem ter a liberdade para se comportar naturalmente, o que exige espaço suficiente, instalações adequadas e a companhia da sua própria espécie.
  5. Livre do medo e estresse: não é só o sofrimento físico que precisa ser evitado. Os animais também não devem ser submetidos a condições que os levem ao sofrimento mental, para não ficarem assustados ou estressados.

Calendário de vacinação para cachorros

A principal forma de prevenção de doenças é a vacinação, imprescindível para a manutenção da saúde e bem-estar dos cães. O início da vacinação é realizado quando ainda são filhotes, por volta de 6 a 8 semanas de vida, ou até antes, dependendo da indicação veterinária. Algumas possuem doses de reforço consecutivas, que variam conforme o protocolo. Outras devem ser reaplicadas  anualmente e em datas precisas, já que o atraso ou a não revacinação, interrompe a proteção. 

Atualmente no Brasil, o calendário vacinal dos cães é composto por 4 tipos de vacinas:

  • Polivalente: é a primeira vacina que seu cãozinho deve receber, prevenindo doenças como Cinomose e Parvovirose, além de outras doenças virais comuns, como Coronavirose, Adenovirose, Parainfluenza e até Hepatite e Leptospirose. O protocolo vacinal se inicia por volta de 6 a 8 semanas de vida, com 3 ou 4 doses de reforço, e revacinação anual. Somente após tomar todas as doses, seu pet estará livre para fazer passeios e se encontrar com outros cães. 
  • Antirrábica: a raiva é uma doença zoonótica muito grave que não possui cura e leva à morte animais e humanos. Portanto, a vacinação é obrigatória para os cães.  O protocolo vacinal tem início por volta dos 4 meses e deve ser repetido anualmente, mesmo em animais sem acesso à rua. 
  • Leishmaniose: a vacina é disponibilizada para todos os cães a partir dos 4 meses, mas só pode ser aplicada  após realização de exames. Se o animal é negativo para a doença. São 4 doses, com intervalos de 21 dias, e revacinação anual na data da primeira dose.
  • Gripe canina: a vacina contra gripe, conhecida como Tosse dos Canis, pode ser dada a partir de 8 semanas e deve ser aplicada antes dos meses frios do ano, principalmente em  cães que frequentam hotéis para cachorros e pet shops, já que a doença se espalha facilmente em locais com vários animais juntos. 

Além das vacinas, outra importante forma de manutenção do bem-estar dos cães é o controle de pulgas e carrapatos, parasitas que causam desconforto e propiciam o aparecimento de doenças. 

Carrapatos em cães 

  • Provocam diversos problemas de pele nos animais domésticos, como dermatites. Os cães podem se contaminar tanto por bactérias, levando a infecções na pele, como servirem de local para deposição de ovos de moscas, desenvolvendo as famosas miíases, chamadas comumente de bicheiras. 
  • Transmitem doenças graves, como Babesiose e Erliquiose, que levam cães a anemias severas, hemorragias, baixa da imunidade e morte. 
  • Também podem transmitir doenças para os humanos, como a Febre Maculosa.

Pulgas em cães 

  • Como os carrapatos, as pulgas também acarretam diversos problemas de pele nos pets, em especial em animais com sensibilidade a picadas deste parasita, levando ao desenvolvimento de Dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP), gerando bastante coceira, perda de pelo e feridas. 
  • Podem transmitir verminoses, acometendo tanto cães quanto gatos e humanos. A presença de coceira e lambedura recorrente da região anal pode ser um sinal da infecção por vermes. 

Uma curiosidade sobre datas comemorativas é que também existe o dia do cachorro vira-lata. Você sabe quando ele é comemorado? Leia aqui

Faça seu cadastro! Nós te lembramos de datas importantes de vacinação e medicação contra parasitas por e-mail e SMS. É rápido, prático e totalmente gratuito!

Fontes para a redação desse artigo sobre o dia do cachorro:

Cinco liberdades do animal

Domesticação do cachorro

BROOM, Donald M. Bem-estar animal. Comportamento Animal, 2a edn, ed. Yamamoto, ME and Volpato, GL, p. 457-482, 2011.

Postado em
August 25, 2022
na categoria
Notícias e Curiosidades

Mais artigos em:

Notícias e Curiosidades

ver todos